segunda-feira, 22 de junho de 2009

Viagens


Acho que o sonho é inimigo da paixão. Quanto mais idealizamos mais oportunidades perdemos. Talvez o melhor seria mesmo esquecer os arquétipos, as mariquices, as ideias feitas e simplesmente deixar-nos levar. Assim como se deve viver a vida, tomando cada dia como único e último, deveríamos tomar cada situação como uma eventual hipótese, esquecer os problemas existenciais, as dúvidas, as fraquezas, a timidez, as tentativas de perfeccionismo e simplesmente seguir em frente, sem preocupações, sem destino previsto ou programado, sem nada. O importante talvez não seja o ponto de chegada, mas sim a viagem que se realiza!

A grande questão é, será que conseguimos? Porque há viagens em que nos perdemos e que acabam mal…

4 comentários:

Daisy Maria disse...

gostei, gostei realmente. creio que tens toda a razão mas nem sempre conseguimos pensar isso no momento em que deveríamos.

(obrigada por me ensinares a fazer pontos finais :D)

Le Enfant Terrible disse...

De nada, dispõe sempre!;)

Anónimo disse...

Eu juro que gostava, que queria, que ardo ansiosamente por um dia conseguir desprender-me a seguir nessa "viagem"... Sou sonhadora demais, e sofro quando ponho os pés no chão.

beijinhos

Mary

S* disse...

Eu gostava de ser daquelas pessoas que gostam de se afastar, de viajar e ir para longe. Que conseguem soltar as amarras e voar sozinhos. Eu nao. Eu nao saio das sais da mamã nem por nada deste mundo. :P