sábado, 11 de julho de 2009

Escolhas...


Ninguém escolhe o que gosta
Ninguém escolhe a música de que gosta
Ninguém escolhe os filmes de que gosta
Ninguém escolhe a comida de que gosta
Ninguém escolhe a arte de que gosta
Ninguém escolhe onde nasce
Ninguém escolhe a família que tem
Ninguém escolhe a matéria que gosta
Ninguém escolhe o seu corpo
Ninguém escolhe o tempo que vive
Ninguém escolhe o seu olhar
Ninguém escolhe o melhor dia da sua vida
No fundo gostar (ou não) é algo orgânico, espiritual, o que se quiser, que forma os nossos gostos, não somos nós que decidimos, o que nos rodeia é que nos escolhe, agrada-nos ou não, gostar ou não gostar nasce connosco, cresce connosco, envelhece connosco e somos sempre seus dependentes.

Assim é o amor, não escolhemos de quem gostamos, gostamos e pronto, atraídos como moscas para uma teia de aranha, uma armadilha que nos leva ao desespero ou ao delírio, senão o amor não se diluiria ou concentraria, seria simples, inorgânico, matemático e prático.
Não acredito em racionalismos em matéria de sentimentos, acredito que eles mudem, que se alterem, que se percam, desvaneçam, mas nunca são pensados, o pensamento pode alterar o sentimento mas não o pode formar, pode cimentar mas não justificar.
Embora por vezes podemo-nos adaptar, aprender a apreciar, nunca será algo em estado puro, será sempre algo menor e não magnânimo como aquilo que o id nos reserva…

6 comentários:

V. disse...

No meu caso, ninguém escolhe a pessoa que ama e ninguém escolhe a família que tem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

MAS HÁ ALGUMA COISA MAIS REAL DO QUE ISTO? NÃO, NÃO HÁ! É QUE NÃO HÁ MESMO!

Boa sorte para esse amor, aliás se não for para "esse", boa sorte para o amor! Beijos

Bafejada pelas Musas disse...

Bem dito. bonito post. e no fundo são essas diferenças que tornam cada um especial:) que nos tornam unicos e não um monte de humanos criados em serie. A piada do amor também está em nao se escolher. quando menos se espera e-se arrebatado. E ainda bem, acho que já existem demasiadas coisas na vida monitorizadas e mecanizadas:)****

Teresa Queiroz disse...

concordo !

quem ama nunca racionaliza .. não condiz com o estado de alma

'C. disse...

por acaso, não concordo em relação aos gostos. sim, há coisas q nao podemos escolher, como o amor e a família.. mas amigos, gostos, e a forma como vemos a vida, sim, podemos escolher. gostos educam-se! :P

'C. disse...

Ps. obrigada pelo comentário. quando escrevi aquilo estava um bocado estúpida. sei q tens razão, q devia msm seguir em frente. mas quando se está assim... é dar tempo ao tempo.

beijinho

Le Enfant Terrible disse...

'C.
Não tens de quê e sim o tempo tem dons milagrosos!
E sê bem vinda!