quarta-feira, 8 de julho de 2009

Silêncio


A pior coisa que me podem fazer é não me darem resposta, deixar-me no vácuo da dúvida, se a resposta for negativa, tudo bem, se for positiva tanto melhor, agora sem resposta é que não. O silêncio é de tudo o que mais abomino! O silêncio faz-me desesperar, faz-me pensar em mil e uma coisas, cria um remoinho de ideias na minha cabeça. Prefiro uma resposta simples a um complicado mutismo da outra parte, o qual não me deixa avançar e leva-me ao estatismo.

9 comentários:

Hermione disse...

concordo contigo, prefiro ouvir uma resposta q doa do que ficar na ignorancia do silencio..

Teresa Queiroz disse...

o silencio é uma expressão do egoísmo ... e como tal abominável!!

Daisy Maria disse...

como te compreendo, ultimamente têm-me respondido com silêncio. mas já pensaste que se calhar é porque acham que, digam o que disserem, não atinges? digo eu, talvez.. (começou a guerra, meu caro Terrible)

Le Enfant Terrible disse...

Daisy
Guerra? Ok essa não atingi mesmo!;)

Patrícia disse...

mudando isso para outro contexto:
e discutir com alguém que não abre a boca?
e discutir aos gritos com alguém que nem te dá 'luta'?

isso sim, enerva-me ainda mais.

e sim, perguntas sem resposta são borboletas estomacais na certa!

PEDRO PINA disse...

curiosamente usei a mesma foto no meu blog...sobre o mesmo tema!....

Miss Yellow disse...

Lá está , e prontos sinto-me compreendida! ahahaha

Odeio que não me respondam.. sinto-me cheia de pontos de interrogação, um certo desprezo, mas enfim, às vezes temos de nos aguentar..

Rapunzel disse...

prefiro mil vezes ouvir uma verdade que me magoe na cara do que o silêncio...

Balada da minha Alma disse...

Gostei deste post. Mas sabias que, muitas vezes, o silêncio também é uma forma de expressão?

No entanto, penso ter entendido o que queres dizer. No caso de o silêncio doer mais do que ouvir um não. Um não magoa, mas faz-nos andar em frente. Pelo menos, pensamos: tentei, não deu, siga! Com o silêncio, esse magoa mais, deixa-nos a pensar no que não foi e no que poderia ter sido.