quarta-feira, 26 de agosto de 2009

As virtudes do trabalho

Por vezes é bom estar ocupado, bem absorto para esquecer o que vai de mal na nossa vida, ou até a falta de uma vida, porque no final enquanto estamos concentrados com algo estamos a viver e muitas vezes nem reparamos nas pequenas coisas que fazemos e só lhes damos importância depois de muito tempo, quando caímos no aborrecimento e no ócio. Viver não é somente sonhar e sentir, é fazer, mesmo que seja aquilo que somos obrigados e não temos vontade, porque nessas alturas valorizamos outras coisas que vão além do material, pensamos mais e imaginamos um mundo alternativo para onde fugimos. Se por um lado estar-se extremamente ocupado com coisas triviais e materiais pesa na nossa mente, por outro isso é libertar a cabeça para todas as outras coisas que nos definem como seres humanos, sonhamos, filosofamos, constatamos aquilo que nem sempre reparamos. A liberdade da nossa mente acontece por isso em reacção ao que lhe é imposto e isso sabe tão bem, porque estamos mas não estamos e nesses momentos os sonhos e os pensamentos têm um sabor especial...

6 comentários:

a estagiária disse...

Mas que certo! É mesmo assim como dizes.. Mesmo mesmo...

HannaH disse...

sem duvida ...ter as mãos desocupadas, torna a mente pesada com taanto pensamento!

captivated disse...

Verdade, verdade, mas...
(chato do mas, hein?!)
É preciso cuidar que não devemos refugiar-nos nas "outras coisas" para fugirmos àquilo que nos pesa!

Patrícia disse...

E se tivermos um trabalho em que raramente estamos verdadeiramente ocupados? Pois é... afogo-me dias inteiros em pensamentos nada rentáveis.

Anira the Cat disse...

o trabalho � bom para desviar a nssa mente daqueles pensamentos chatos, que insistem em instalar-se como se estivessem em casa...e pelo menos faz-se algo �til! Al�m de que estar desocupada faz-me mal! [viciada no trabalho, d�h ;)]

S* disse...

A vida há um mar de rosas. Ha que saber lidar com a rotina, com os dias chatos e com os momentos desagradáveis.