quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Azedo

Por vezes sinto-me azedo, sou azedo, comigo, com os outros, com tudo o que me rodeia, com tudo o que penso, com tudo o que sinto. Momentos há em que o fel parece subir-me à garganta, ao cérebro, fazendo-me ver tudo negro, tudo sombrio, como se as trevas tomassem conta de mim. Nessas alturas uma lágrima nasce ao canto do meu olho mas não se derrama, fica ali, parada, estanque, como que a ameaçar-me, como que a brincar comigo e eu pergunto-me então se merecerei ter sorte em algum momento da minha vida com todo esse caos que circula dentro do meu ser, com toda essa raiva e consternação que contenho no meu interior que alimentam essa coisa acre que me varre, por vezes em grandes rios, por vezes em pequenas gotas, que nem sempre consigo neutralizar, porque nem sempre há doçura suficiente à minha volta e para o fazer...

5 comentários:

HannaH disse...

teres consciência disso é uma virtude!

a estagiária disse...

Como te percebo.. Comigo acontece exactamente o mesmo.. excepto num pormenor.. a minha lágrima derrama.. Quando estou azeda é porque algo me perturba, porque há um problema difícil de resolver ou até mesmo sem solução.. e nesses casos não há melhor remédio que lavar a alma com lágrimas..

S* disse...

Oh isso parece-me bastante natural, cada um tem a sua maneira de estar e agir e não temos de ser todos sorridentes (como eu :P )

Gingerbread Girl disse...

Quando a raiva sobe... pouco podemos fazer.

Relax... conta até 10. Slowly.


kiss*

Sunshine disse...

Todos temos os nossos momentos....