quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Encontros e devaneios


Encontro-te todos os dias. Nos meus sonhos, nos meus pensamentos, nas minhas ilusões e devaneios. Procuro-te onde quer que vá, onde quer que esteja. Não vejo o teu rosto, não preciso, porque te sinto por aí, algures, a povoar o vazio da minha vida, a solidão da minha existência. Sei que existes, sinto o teu sorriso, a tua alegria, o teu calor, o teu sangue a pulsar num mar de tranquilidade. Sei que um dia te tornarás real. Sei que onde chego tu sais. Sei que onde saio tu entras. Sei que se te procurar não te encontro, porque serás tu a encontrar-me. Sei que nos desencontramos eternamente, mas um dia o mundo vai parar e quando isso acontecer vais olhar para mim, vais-me ver e eu vou-te ver, ambos pela primeira vez. Esse momento será único, será mágico, será eterno e eu aguardo-o. Entretanto vou abrindo e fechando portas, vou alterando rotas e criando cenários. Mas sempre vislumbro o Sol e o céu estrelado, porque sei que lá nos encontramos todos os dias…

6 comentários:

Tiago disse...

:) muito bem... nunca sintas medo de não a encontrar.
por vezes escreves aquilo que não quero pensar...

miúda gira disse...

Está lindo este texto, não sei é se ainda devemos acreditar nesse destino que está escrito...e ficar à espera.

Le Enfant Terrible disse...

miúda gira
Sê bem vinda!

Gingerbread Girl disse...

Lindo texto... parece que descreves um sonho/pesadelo.


kiss*

Li disse...

Lindo, lindo, lindo...

Le Enfant Terrible disse...

Li
Sê bem vinda!