segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Solidão


Há quem esteja sozinho por necessidade, por vontade própria ou ainda devido a uma conjectura que pode ser derivada a várias circunstâncias que envolvem o próprio indivíduo e o que o rodeia. A solidão é um momento de reflexão, de se pensar a vida, aquilo que somos, o que queremos e para onde vamos. A solidão é esse espaço cósmico onde os sonhos parecem distantes mas ao mesmo tempo é o lugar onde estes se formam e reforçam. A solidão permite-nos procurar e sermos encontrados. A solidão mantém um campo de opções em aberto, sem que para isso sejamos obrigados a escolher, a tomar uma decisão, sem pressas ou pressões. Contudo há quem se vicie na solidão, quem prefira ficar no seu conforto para justificar a falta de tudo, criando expectativas demasiado altas para não ter de abandonar esse estado, mas ao mesmo tempo abominando-o por se encontrar fechado nele. A solidão não é um estado de chegada mas um estado de partida e por isso só faz sentido se tiver um final.

12 comentários:

GATA disse...

Há muitos anos, quando estava em Madrid, li uma frase que nunca mais esqueci: "la soledad no es cuando uno está sólo, es cuando uno se siente sólo"...

Kikas disse...

anti-social

S* disse...

Detesto estar sozinha. Há dias em que estou mal e em baixo. Digo que quero estar sozinha. Mas quero é mimos e carinho...

Le Enfant Terrible disse...

Kikas
Olha que está enganada!

Hermione disse...

é importante saber estar sozinho. eu pessoalmente gosto, nao sempre claro, mas as vezes. li uma vez 'quando me julgarem só, lembrem-se que estou comigo mesma' :)

Gingerbread Girl disse...

No fundo, no fundo... todos estamos sós.


*

Anira the Cat disse...

O problema é quando descemos voluntariamente, e depois não conseguimos sair do fundo do poço... mas ainda tenho esperança que me mandem ua escadita para sair de lá!! :)

HannaH disse...

acho k sabes a minha opiniao sobre isso...

Maria disse...

Respondendo á tua pergunta: haver há, mas não são a mesma coisa :d

Agora a sério...normal é haver um certa dose de loucura, uma certa paixão pela vida, haver um certo desiquilibrio ocasional....e o ideal seria que normal fosse ser correcto com as pessoas, conduzir-se sem stresses, fazer o seu melhor. Mas cada vez mais chego á conclusão que estes comportamentos ditos "normais" são cada vez mais raros. Há gente bem louca neste mundo, é cada um com uma pancada pior que o outro/a. Grandes malucos. E eu ainda me achava louca? Ás vezes chego á conclusão que anda pelo menos 3/4 do mundo avariado, quase que me dá vontade de ir viver para o Tibete. Mas como não posso, tenho que viver num Tibete mental, onde os loucos também não são poucos.

Agora sobre o teu post (que de alguma forma se cruza com o meu). Eu não gosto de estar sozinha. Lido mal com a solidão. Uns dias melhores que os outros. Na maioria dos dias não me faz confusão nenhuma já não ter namorado. Noutros dias fico a pensar, olha e agora, a quem é que vou telefonar, com quem é que vou sair, com quem vou partilhar as minhas coisas. E penso: aos meus amigos. Pois mas quando se tem 28 anos, os amigos já têm vidas proprias, ja namoram ou casaram, já tem problemas deles e aí não há como não sentir um certo vazio.

Mas como eu nao sou gaja para me chatear com isso continuo na minha. Quando temos alguem queremos estar sós (eu pelo menos quero!) e quando nao temos queremos ter. Realmente...ainda dizem que ha poucos malucos....

mafalda disse...

foi um dos textos mais lindos (é mesmo esta a palavra) que li nos últimos tempo.
não tenho por hábito comentar, normalmente apenas passo por cá todos os dias, mas hoje tive mesmo que comentar, pq escreves aquilo que eu sinto, mas que nao consigo escrever. como eu queria ter escrito este texto, ou melhor, como eu queria expressar assim aquilo que eu sinto.

parabéns. belo blog.

Le Enfant Terrible disse...

mafalda
Sê bem vinda e obrigado pelos elogios!

Patrícia disse...

"A solidão permite-nos procurar e sermos encontrados" Adorei esta frase =)
Estou sozinha, e tão bem acompanhada.