quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Pensar as coisas

Normalmente só se pensa em certas coisas quando não as temos, ou quando as temos mas depois as perdemos. Quando se está a usufruir ou a viver algo, não se pensa, respira-se, vive-se apenas, sente-se mas não se discute, não se teoriza, porque isso é de alguma forma tirar a “graça” à situação. Somente mais tarde, depois de tudo ter passado, de estarmos “saciados” ou satisfeitos é que se pensa, é que se sente a falta e se levantam saudades, desejos, remorsos, do que passou, ou de algo que se quer. Talvez por isso quando vivemos ou temos algo deixamos passar muita coisa ao lado ou simplesmente enquanto o fazemos não sabemos saborear o momento. Esse sabor surge mais tarde, quando a memória for buscar estas recordações para alimentar novos desejos e regurgitar coisas antigas que parecem ter sido pouco aproveitadas e que desejaríamos reescrever.

7 comentários:

sakura disse...

Sabes, há coisas que é possível saborear...exactamente porque sabemos que são efémeras, ou porque sabemos que um dia vão acabar...mas estar a pensar nisso constantemente tira-lhe a graça, o brilho, tal como disseste.
Bjinhos***

100 remos disse...

Tão verdade! E é nesse baú que nos reconhecemos.

Mona Lisa disse...

Eu penso o tempo todo..Penso enquanto ainda tenho as coisas,quase na tentativa de prever quando é que vou deixar de as ter, porque afinal tudo tem um prazo de validade nesta vida. Se queres que te diga...às vezes invejo aqueles que simplesmente vivem o momento e só pensam depois.

L'Enfant Terrible disse...

Mona Lisa
Invejas tu e invejo eu!

Nuance disse...

A nostalgia é uma arma perigosa, com tendência a florear. É sempre mais facil agarrarmo-nos a um passado conhecido que atirarmo-nos a futuro incerto.

Chocolate disse...

Eu sou daquelas que pensas demais e sofre com isso ...

Mas não consigo mudar enfim...

K;

' Claudjinha disse...

eu por acaso discordo. acho que a melhor forma de desfrutar das situações, é simplesmente vivê-las. racionalizá-las sim, tira a piada toda.