quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Da dúvida


A dúvida é aquela coisa persistente, que se entranha na pele, como um parasita que mói, germina e dá comichão. A dúvida faz vacilar, não permite a decisão rápida, eficaz, é um elemento cruel e paralisador, adormece-nos, explora as nossas fragilidades, as que temos e as que não temos. Faz ruir as certezas mas ao mesmo tempo também permite que ponderemos, que evitemos fazer o que mais tarde nos levaria ao arrependimento. Ainda assim a dúvida é um sinal, positivo ou negativo, que se instala sem a nossa vontade e faz durar aquilo que, ou nunca devia ter começado, ou há muito devia ter acabado…

8 comentários:

Girl in the Clouds disse...

As dúvidas, são boas e más!! Por um lado, fazem pensar antes de agir, por outro impendem-nos de arriscar!!E, quem não arrisca....

" A Invisível " disse...

Caro Terrible:
Para mim, a dúvida é um sentimento que moí e roí por dentro. Detesto estados de dúvida, deixam-me aflita e por momentos parece que perco o meu "chão"...
Beijinho*

Atelier de trapilho disse...

A dúvida é um ingrediente essencial na vida. Dá mais sabor, dá mais pica! Se fosse a escolher o ingrediente correspondente à dúvida diria "pimenta doce"...Bela reflexão a tua!

Anna disse...

Totalmente de acordo! A dúvida surge sempre como um parasita inconveniente e inoportuno!
É ela que nos impede de cometer algum erro, mas também é ela que nos faz hesitar e não agir quando o deviamos, afinal, ter feito, e é ela também que semeia os "e se" que mais tarde vão brotar na nossa consciência...

S* disse...

E a estúpida da dúvida que não passa...


Desafio no blogue.

the bloom girl disse...

Não gosta nada desses estados de dúvida. Deixam-me angustiada e tensa e não nos permitem avançar.

L'Enfant Terrible disse...

the bloom girl
Sê bem vinda!

Anira the Cat disse...

A dúvida dá cabo de mim enquanto eu não dou cabo dela...