domingo, 31 de janeiro de 2010

Perdoar


Por vezes é mais fácil perdoar os outros do que a nós próprios porque os erros que os outros cometem conseguimos esquecer, porque nos são externos, porque vemos reflectidos nos rostos de outrém nós próprios quando erramos e também a nós podia suceder o mesmo. Mas quando a culpa é nossa e somente nossa, o erro provocado pela nossa acção, temos o arrependimento dentro de nós a bater constantemente nas paredes do nosso corpo, o remorso que dilacera a nossa paz. A imperfeição, que é exemplar da nossa condição humana, leva-nos a cometer erros, sendo que os piores são aqueles cometidos pelos nossos cálculos errados ou quando fazemos algo somente a pensar em nós próprios. É difícil depois emendar isso, mas mais difícil é esquecer.

10 comentários:

by " A Invisível " disse...

Querido Terrible;
Temos que ter a capacidade, de conseguir perdoar as nossas próprias falhas ou erros...
Beijinho grande* e bom domingo*

Sophie disse...

Ai que bom texto!!
E tão tãaao verdadeiro.

Muito bom mesmo.
Adorei a parte de bater nas paredes do nosso corpo. Muito bom.

Beijo *

Gaja com G maiúsculo disse...

Que verdade tão pura!
É verdade, por vezes os outros cometem erros tão graves connosco e mesmo assim, com tempo, conseguimos perdoá-los. Já quando somos nós a errar...é tão difícil...

Beijinhos

Rapunzel disse...

Perdoar até se perdoa, seja aos outros ou a nós, agora esquecer... isso nunca!
(mas sim, é mais fácil aos outros, sem dúvida nenhuma!)

Bjo

Girl in the Clouds disse...

Temos que nos abstrair dos erros que cometemos e seguir em frente!! Temos que ter essa capacidade!!

maria teresa disse...

Para algumas pessoas é muito difícil admitirem que erraram... e isso é que é terrível...
Abracinho

' Claudjinha disse...

por acaso, discordo. acho que somos sempre muito mais críticos com os outros e, daí, tendemos a perdoar menos facilmente os erros dos outros do que os nossos próprios.

Lia disse...

eu n sou nada boa a perdoar..nem aos outros e muito menos a mim! Talvez um dia...

izzie disse...

Eu não sou propriamente fã da perfeição.
Prefiro ter algo para perdoar aos outros... e algo em que pensar, mesmo que pareça um labirinto sem saída, mesmo que desfaça a mente em dúvidas e o peito em dificuldades maiores de respirar... algo com que aprender.
Mesmo que pareça que, afinal, não aprendemos nada.

Beijinho,

eu... disse...

O perfeccionismo e a culpa (mesmo quando não a tenho), os meus maiores pecados.
São arestas que se limam, tens que tentar.