sábado, 13 de fevereiro de 2010

Das histórias


As histórias nascem na nossa cabeça, construímo-las a partir do nada, de um pequeno sinal, de uma pequena dúvida, de algo minúsculo em que nem reparamos à primeira vista, julgando tratar-se de uma realidade completamente nova, de uma porta que se abre, de um novo paradigma que se descobre mas no fundo nada é novo, nada é real, é simplesmente a renovação do que sempre sentimos, apenas com outra capa, outra moldura, sendo o pano de fundo de fundo o mesmo – a nossa imaginação a funcionar, o nosso desejo, o nosso sonho. É fácil deixarmo-nos encantar pelas histórias que produzimos, apaixonarmo-nos por elas, sofrer e torturar-nos quando percebemos que não as podemos tornar realidade exactamente por não serem reais e não passarem de divagações a que nos entreguemos e pelas quais somos seduzidos. As histórias que criamos são perfeitas e fazem-nos esquecer a imperfeição da realidade onde o brilho é bem menor e tudo cintila de uma forma indefinida, onde ressaltam as dúvidas naquilo que sentimos mas também é onde se dá a verdadeira loucura do imprevisível que nos provoca o sorriso mais verdadeiro. Contudo, ainda assim, mesmo ao saber isso, acredito que um dia uma destas histórias se torne real, ou pelo menos origine algo real, seja uma realidade de outra forma, que não seja impossível, que não nos retire o sorriso do rosto…

5 comentários:

Rapunzel disse...

Eu continuo na esperança que um dia a minha história volte a ser encantada...

Girl in the Clouds disse...

Aquele mundo que é só nosso!! kiss

Nirvana disse...

A nossa imaginação leva-nos longe por vezes. As histórias que criamos podem levar-nos a nunca estarmos satisfeitos com as que temos. Ou talvez não, no dia em que a realidade for melhor que a história ;)

Lápis disse...

E é tao bom sonhar...

by " A Invisível " disse...

Querido Terrible,
(modéstia à parte, mas de imaginação entendo eu!! hihihii!!!!)
Desejo-te um excelente fim-de-semana, com muitos sorrisos à mistura. Sim?... :)
Beijinho grande*