quinta-feira, 4 de março de 2010

Abordar uma mulher, ou como sou capaz de complicar coisas para, no fim, não chegar a nenhuma conclusão de jeito!

Já me perguntei muitas vezes como será que as mulheres gostam de ser abordadas. Creio que a resposta é inexistente porque não deve existir uma, mas sim milhões, uma por cada mulher, se bem que para sorte dos homens existem alguns elementos comuns a todas. A abordagem nasce do desejo de um homem por uma mulher, mas também ao contrário, contudo ainda por força de alguma tradição é dos homens que se espera a acção, mas certo é que homens, ditos normais, têm de batalhar mais para conseguir, que de alguma forma, uma mulher lhes preste atenção e quiçá, algo mais. Depois existem aqueles que são mestres na abordagem, conseguem captar a atenção feminina facilmente com palavras, com expressões e fazem-no tão naturalmente como quem respira, ao contrário daqueles para os quais o processo parece ser quase uma actividade contra-natura, que os leva ao ponto de perderem, no enrolar da língua, todo o conhecimento dos fonemas racionais que passaram uma vida a aprender e a usar. Creio que duas das bases fundamentais para uma abordagem são, respectivamente, o improviso e a criatividade, encontrando-se estes elementos interligados, visto que as condições e o modo como se aborda devem condicionar tudo o resto. Mas falar é fácil, contudo improvisar não, requer saber tirar partido de um momento, saber ler nas entrelinhas, ter a ousadia suficiente para avançar ao que se junta a imaginação necessária para criar um cenário natural e demonstrativo de confiança. Mas isto é a teoria, porque na prática o caso muda de figura, acima de tudo quem aborda sabe bem que é tudo um jogo de probabilidades, de um lado e de outro, ou será que não? Será que existem fórmulas mais racionais e menos inspiradas, ou frases feitas e situações que se preparam, quais ratoeiras que condicionam atitudes que levam ao tão esperado “sim”? Mas mesmo que a resposta seja “não”, também há o modo em que apesar disso, se pode gerar um reconhecimento pelo esforço e, se assim for, pelo menos não se perdeu tudo!

Quanto a mim, a única conclusão que posso tirar disto tudo é a seguinte:
Abordar uma mulher e ter sucesso é tão difícil como ir à Lua, mas também é verdade que nem todos dão para astronautas!

15 comentários:

Rapunzel disse...

Até pode ser que dos homens se espere a acção, porque vocês ainda se assustam e intimidam com mulheres que tomem as rédeas da "coisa"...
Frases feitas? Por favor... isso é mais de meio caminho andado para se porem a andar (comigo, porque conheço mtas meninas que caem e ainda acham que eles estão a ser sinceros). Abordagem para mim equivale a sinceridade, sem jogos... Mas isso sou eu!

Gaja com G maiúsculo disse...

Sabes meu Terrible, acho que existem homens que têm uma certa predisposição e facilidade nessa abordagem, e que até têm sucesso. Mas a experiência diz-me, que geralmente esses homens são aqueles que deveriam ter cravado no peito um sinal de ''DANGER ou RED ALERT'' para que pudéssemos fugir atempadamente!

Com o tempo eu e penso que todas as mulheres aprendemos a ficar desconfiadas dessa ''naturalidade'' toda, e lentamente, ir apreciando um homem que embora com menos ''jeitinoho'' seja sincero nos seus actos e palavras. O que é certo é que nunca sabemos, mas os sinais ainda que ocultos, estão lá!

Beijinhos

*B* disse...

Nunca apreciei abordagens porque a grande maioria dos homens não sabe fazê-lo*. Fazem figurinha de parvo. Até te digo mais: conheci o meu namorado com uma abordagem minha... Claro que esta não foi do nada, ele falava com uma amiga... Mas, e por mais que eu quisesse disfarçar, ele entendeu que era para o conhecer... E ainda bem que o fiz!


:)



*confesso que houve uma gira: num bar, um rapaz deu-me um papel que dizia que eu era a mulher mais linda da noite e tinha o número de telemóvel dele. Conclusão: eu conhecia-o e era namorado da ex do meu namorado da altura!

[lol]

by " A Invisível " disse...

Querido Terrible;

Na minha opinião depende da receptividade da outra pessoa...Da química que pode haver ou não.
Mas este assunto dava "pano para mangas". Porque tudo depende de um conjunto de coisas ou situações...
Não consigo explicar melhor. ;)
Beijinho grande e boas conquistas! Ou não fosses tu o verdadeiro TERRIBLE! hihihi!!!

Nirvana disse...

Acho que o principal problema dos homens é precisamente preocuparem-se com o como, em vez de serem espontâneos. Assim como acharem que há uma fórmula onde se enquadram todas as mulheres, logo, todas darão valor às mesmas coisas.
Há coisas que me fazem fugir a 100 à hora. As tais frases feitas que, diga-se de passagem, algumas são de uma total falta de discernimento, os elogios exagerados, quase dizerem primeiro o que fazem ou que carro têm, etc, etc,etc.
O principal, acho eu, é a química. Ou há ou não há. E é precisa dos dois lados. Aí, o tal improviso, espontaneidade fluem naturalmente.
Nós não somos assim tão difíceis, Terrible; no fundo, precisamos de muito pouca coisa.
Bjnhs

S* disse...

A abordagem tem de ser adequada à mulher... não se pode nem se deve usar a mesma para todas.

Umas são mais sensíveis, outras gostam que se vá directo ao assunto.

Mona Lisa disse...

Concordo completamente com o comment da Nirvana...podia ter sido meu, tal e qual.
Eu pessoalmente aprecio inteligência e classe, com uma boa dose de sentido de humor subtil, boa conversa e à vontade.
Mas tens razão, cada mulher é um mundo, com regras, exigências e funcionamento diferente.

Princesse Sofia disse...

Pois......o problema é que hoje em dia já se perdeu o hábito desses "jogos de sedução"... o trocar de olhares, o meter conversa, o nervoso miudinho, o depois..... hoje em dia tem de ser tudo para ontem o que faz com que a maioria das aproximações sejam apenas com um intuito...

Eu gosto particularmente quando se nota uma certa timidez e "embaraço" do outro lado.....a modos que acho querido!hihi

eu... disse...

Acho que "perder" uns minutos a tentar trocar olhares e sorrisos ajuda a entender qual a receptividade que há do outro lado. Depois é ir com naturalidade e não entrar a matar.
Simplicity is the key :)

Lápis disse...

Bolas, mas é assim tão dificil' Sou mulher e nunca pensei que pudesse ser um tormento tão grande e muito menos tão pensado e estudado...

Além disso, quem escreve assim não é gago! ;)

L'Enfant Terrible disse...

Lápis

Escrever é uma coisa, falar e actuar é outra!

Girl in the Clouds disse...

Realmente é um assunto que dava pano para mangas, cada uma tem os seus critérios, mas o importante é haver química!!

'Mimi disse...

É só uma questão de dizer a coisa certa no momento certo. Agora isto é muito bonito na teoria porque na altura...

Anónimo disse...

Just want to say what a great blog you got here!
I've been around for quite a lot of time, but finally decided to show my appreciation of your work!

Thumbs up, and keep it going!

Cheers
Christian, iwspo.net

Anónimo disse...

Isso realmente resolveu meu problema, obrigado!