quarta-feira, 24 de março de 2010

O teu fôlego


O teu fôlego corre por mim como uma corrente de ar fresco que apetece beber, como um perfume que hipnotiza e pelo qual nos deixamos levar. O teu fôlego exala tudo o que tu és, toda a essência, todo o carisma, todos os pequenos pormenores que aquecem e iluminam o meu rosto, levando ao desejo de sentir todo esse teu ar, espírito, alma a espalhar-se pelo meu corpo como uma névoa misteriosa que envolve e consome tudo aquilo em que toca, provocando a sublimação do ser, o qual depois condensa para libertar essa chuva trepidante que se esvai do meio das nuvens negras, sombrias, densas, que se formam no alto dos céus, ao perceber-se que todo o teu sopro se esvaiu e não passou disso mesmo, de uma ameaça fugaz, etérea, que se experimentou por um momento breve, mas ainda assim sublime, que ecoa na minha mente.

6 comentários:

Sairaf disse...

Que lindo!!... muito tocante, ainda que sejam palavras.
Abraços

S* disse...

Tu tens uma maneira de escrever muito suave... amei.

Anira the Cat disse...

100 Seguidores!!!

PARABÉNS!

Anira the Cat disse...

Mais um belo texto... uma verdadeira declaração!

Bjokas

Girl in the Clouds disse...

Está lindo, adorei, Terrible!!

Nirvana disse...

Há textos em que pouco há a dizer, excepto Lindo!
Bjinhos