terça-feira, 4 de maio de 2010

Da desculpa

Peço desculpa demasiadas vezes, a mim mesmo e aos outros por nem sempre ser correcto, por nem sempre ser perfeito, talvez por ser humano. Peço desculpa quando devia pedir desculpa, quando não devia pedir desculpa ou quando devia faze-lo e não o faço vindo depois a pedir por não ter pedido desculpa. A desculpa é fruto do arrependimento, do acidente de percurso, do gesto mal conseguido ou simplesmente da educação. A desculpa nem sempre deveria ser pedida, porque nem sempre temos culpa de tudo o que acontece. A desculpa pode também ser apenas uma desculpa, um retrocesso para não admitir a culpa. A desculpa é um gesto humano para desculpar outro gesto humano. A desculpa serve não só para redimir-mos mas também para tentar salvar o que resta, tentar dar a volta por cima. A desculpa pode ser verdadeira, mas pode ser cínica, uma mentira que proferimos a nós, aos outros. A desculpa mostra que somos fragéis, mas também que somos fortes, que temos consciência do erro, ou então, simplesmente o oposto, mostrando uma insegurança que se procura contornar por esse simples acto. A desculpa nem sempre é justa, nem sempre é perfeita, mas é algo que peço, preferindo-a ao silêncio que nada desculpa.

5 comentários:

Nirvana disse...

Pedir desculpa quando realmente se sente que errou, porque qualquer um erra, quando essa desculpa é sentida, é um gesto de coragem, de apreço pelo próximo.
Não é à toa que tanta gente tem dificuldade em pedir desculpa!
Acho que a desculpa mostra mais que somos fortes do que fracos. Admitir o erro, ao ponto de o rectificar e querer ultrapassá-lo não é um gesto dos fracos.

Beijinhos e boa semana :)

Maria disse...

Olá Criança Terrível,

Ontem li sobre desculpas na Adorável Psicose e achei que poderias gostar de saber a opinião dela: http://adoravelpsicose.blogspot.com/2010/05/desculpas-sinceras.html.
Have fun.

Balada da minha Alma disse...

Descobri o teu blog através de outro e vim visitar-te. Li este post e identifiquei-me muito com ele, pois também eu uso bastantes vezes, quase diariamente, a palavra "desculpa", preferindo-a ao silêncio.

Lendo mais uns posts, verifico que gosto do teu blog e, se não te importares, volatrei mais vezes.

L'Enfant Terrible disse...

Balada da minha Alma
Sê bem vinda e fica à vontade para voltar sempre que quiseres!

S* disse...

Mas é preciso coragem para pedir desculpa.