sábado, 26 de junho de 2010

As compras, as filas e os chicos-espertos


Eu até não me chateio de ir às compras, mas isso quando consigo ir ao supermercado em dias de semana de manhã cedo, quando o mesmo acaba de abrir, não há praticamente ninguém, não há filas e as caixas estão vazias, ali, à nossa espera. Aí sim, dá gosto! Agora quando tenho a triste ideia (ou necessidade) de ter de ir lá no fim-de-semana por volta do meio-dia é exactamente o oposto. Para além de andar tudo aos encontrões, de muita gente só saber parar os carrinhos nas canelas alheias, de haver filas para a charcutaria, para a padaria, para a peixaria, para a frutaria e depois, claro, para pagar, ainda há os chicos-espertos (e neste caso as chicas-espertas!).

Toda a gente sabe (penso eu) que quem tem dificuldades motoras, tem crianças de colo, está grávida ou é idoso tem prioridade no atendimento, tanto que nas superfícies maiores até há por vezes uma caixa exclusiva para isso e quando não há tem todo o direito de passar à frente. Concordo e respeito, nem por se uma questão prevista na lei, mas mais por uma questão de bom senso e acima de tudo de cidadania.

Ora estou eu numa fila enorme para a caixa, já mais que enjoado de estar à espera e quando tenho somente umas duas pessoas à minha frente, reparo que uma senhora vem lá do fundo da fila a pedir licença a toda a gente para passar à frente e passo-a-passo lá chega à minha beira. Empurrava o carrinho com uma mão enquanto a outra segurava uma pequena toalha com algo enrolado que aparentava ser um bebé. Perto de mim pede-me com licença e sem delongas passa para a minha frente o que eu assinto por momentos. Mas eis que reparo que do embrulho que levava ao peito sai, não uma mãozinha, mas um focinho! Cai-me tudo. A dita senhora carregava como um bebé um cachorro e aí começo a mudar de cor! Eu até nem sou de fazer grandes protestos, mas achei que aquilo era demais. Pedi-lhe desculpa e disse-lhe que não podia passar à frente. A mulher olha então horrorizada para mim e começa a protestar de forma perfeitamente arrogante, alegando que ia “carregada”, mas não me fiquei, e afirmei:

- Se estivesse carregada com uma criança sim senhor, agora um CÃO! Só pode estar a brincar!


Nisto, toda a gente que estava atrás começa a olhar e aperceber-se do que se passava e então sim, gera-se o caos! A dita senhora teve de ir esperar a sua vez no fim da fila, ainda protestando a achar que tinha razão.

Quando me vinha embora ainda pude notar a presença de um segurança de volta da criatura e eis que me ocorre a proibição de animais neste tipo de espaço. É pena não proibirem também a entrada de certos espécimes de duas pernas!
[No fundo o que me irritou mesmo foi a arrogância e o seu cinismo. Mesmo com cão, se tivesse feito a coisa sem logro teria deixado passar à frente!]

14 comentários:

'Mimi disse...

Existem pessoas capazes de tudo. Eu também adoro os meus animais de estimação mas daí a faze-los passar por crianças ainda vai alguma distância...

S* disse...

Falta de vergonha na cara, acrescento.

S* disse...

ahahah

Um cão é muito bom, de facto. :D

Hermione disse...

ai eu não acredito! há com cada uma...

Mi disse...

É preciso ter uma lata...

L'Enfant Terrible disse...

Mi
Sê bem vinda!

açoriana disse...

Há pessoas capazes de fazer cada uma... fizeste muito bem meter essa senhora no final da fila :-)

Um bom fim-de-semana!

Marta disse...

É preciso ter lata!
Se isso vira moda as dondocas começam a levar os chiuauas para os supermercados.

Mas concordo, comigo a cena até passava até à parte em que a distinta senhora se afogasse na arrogância.

Bem-feito!
Bjs

Girl in the Clouds disse...

Há gente para tudo mesmo, mas ainda me ri com esta história de Portugal no seu melhor!! No ouro dia também apanhei uma seca nas caixas, parece que com a crise reduziram o número de caixas abertas e temos filas de 3.º mundo....

GATA disse...

Ah, pensava que essas coisas só aconteciam a mim... fico contente por saber que não! :-)

De facto é a atitute! Mas o que há mais neste país é falta de atitude - é a mentalidade de "tenho direitos mas não tenho obrigações"!!!

Não tarda começo com saudades da ditadura...

Corset disse...

chico-esperto é mesmo o termo. A mulher era mesmo parva!

Nirvana disse...

Um cão?? Há gente com muita imaginação, há sim senhor!!
Mais um bocadinho tinha passado à frente e lá ia toda contente com a sua criança :).
Se há coisinha que faz soltar o mau génio é a chico-espertice.
beijinhos :)

Poetic GIRL disse...

Que grande lata da senhora, ainda se pedisse para passar à frente porque o dito bichito lhe pesava ainda vá que não vá.... bjs

Crente disse...

LOL um cão! Nunca me lembrei dessa!
Eu desde que descobri o Continente do Dolce Vita das Antas não voltei a ter problemas. É raro fazer as compras em grandes superfícies, mas às vezes tem mesmo de ser. Já lá fui várias vezes ao fim de semana, inclusive Domingo e até estranhei. Muito vazio mesmo!
Bjs