terça-feira, 15 de junho de 2010

Definição


Aquilo que se é não pode ser definido pelos limites das palavras, das expressões, dos adjectivos e substantivos. Aquilo que se é sente-se e transmite-se, sendo que quem recebe percebe de forma diferente quem transmite, numa diversidade imensa porquanto cada um sente de modo diferente e nós acabamos por ser o resultado daquilo que sentimos no nosso interior, somando a isso o que os outros sentem e vêem em nós. Logo somos muito mais do que pensamos ser, tanto que por isso é difícil alcançar uma definição concreta, visto que a mesma acontece de forma eterna, à medida que o tempo avança e que outros nos olham e nós os olhamos.

7 comentários:

Crente disse...

Oh rapaz, ia dando nó cego!
Mas concluindo, somos o que somos, o que sentimos e o que fazemos os outros sentirem e o reflexo desse sentimento em nós?
Bjs
A Crente

L'Enfant Terrible disse...

Crente
Agora ia eu dando nó cego! Mas acho que a ideia que quero transmitir é essa!

Marta disse...

Complexo mas super interessante.
Gosto de ler post´s que me fazem pensar.

Bjs

Anira the Cat disse...

Cada pessoa é da sua maneira especial e específica. Tentar defini-la é também limitá-la.

Bjokas

by "A Invisível" disse...

O ser humano, é muito mais do que aquilo que possa imaginar. Talvez em casos extremos possamos ver um pouco mais quem somos, e de que somos feitos.
Mas definitivamente o ser humano é complexo e muito vasto.

Beijinho*

PAULO MARTINS disse...

Tens toda a razão! Já Kant dizia algo parecido, mas aplicado ao conceito de "belo".

L'Enfant Terrible disse...

Paulo Martins

Sê bem vindo! Quanto a Kant, acho que nunca passei do título das suas obras!