quarta-feira, 14 de julho de 2010

Noite


A noite envolve-me e o calor não me deixa dormir tornando distante o amanhecer, aumentando o meu desejo e a minha frustração por não conseguir ouvir a tua voz, sentir o teu abraço, por não conseguir beber dos teus lábios esse sabor único que provoca o arrepio surdo, milhares de explosões nos neurónios levando ao sentir de tudo aquilo que gostamos mas não sabemos explicar. Mas ao invés disso é apenas o silêncio que oiço, com o seu volume no máximo a ressoar nesta escuridão longa e imperfeita que me parece engolir e que tende a ser impossível de ultrapassar. No horizonte uma aurora tímida, envolta num ruído longínquo que parece prometer tudo mas não oferece nada. No céu nuvens que parecem ameaçar os mortais com todos os terrores e maldições. No meu peito esta respiração e este suspiro continuo que parece ser tão pouco, mas que faz sentir muito…

9 comentários:

S* disse...

Belo momento Enfant...

P. disse...

Este texto faz-nos sonhar...
Beijinhos,
P.

Anira the Cat disse...

A noite é sempre cheia de promessas...

Bjokas

Marta disse...

A noite embrulha-nos nos sentimento que julgamos adormecidos durante o dia...

by "A Invisível" disse...

Ah poeta!! :))
Bonito, muito bonito.
Beijinho*

Carolina Tavares disse...

Parece-me um homem apaixonado. Belíssimo!!!

Nirvana disse...

Lindo, Terrible!

Há noites que parecem não acabar nunca, e há noites que passam demasiado depressa.

Beijinhos

Mona Lisa disse...

Tu és dos homens mais românticos da blogosfera, sem dúvida!

Storyteller disse...

Amei :) Sublimemente bem redigido..

Beijinho