terça-feira, 31 de agosto de 2010

Definição #2


Muitas vezes definimos aquilo que somos por um conjunto de verdades, de conceitos, de valores que dizemos possuir e defender. Da mesma forma é por aí que revelamos os nossos defeitos, as nossas fraquezas e sobretudo as nossas contradições quando contrariamos aquilo que sempre dissemos, quando nos vemos obrigados a alterar a nossa posição ao assumirmos o erro, ao verificarmos que tudo é questionável tal como nos próprios e aquilo que pensamos ser. Definirmo-nos por um conjunto de conceitos é limitar-nos a um conjunto de ideias racionais, precisas e muitas vezes pouco flexíveis, mesmo quando a flexibilidade faz parte dessa lista. O certo é que aquilo que somos é mais o que sentimos num momento, em vários momentos, aos nossos olhos, aos olhos dos outros, é um mar que se move sem se definir mas definindo-se como água que se movimenta constantemente não deixando de ser o que é, apenas alterando a sua forma dentro de padrões ilimitados mas que todos reconhecemos como próprios da sua essência. Definirmo-nos é difícil, senão mesmo impossível, somos mais e somos menos, somos tudo e não somos nada, somos aquilo que somos e por mais palavras que se usem elas podem-se sempre perder no vazio da verdade, porque a realidade é algo que ultrapassa qualquer vocábulo.

2 comentários:

Smurf disse...

Apareces com o nick "Terrible" mas cheio de sensibilidade. A frase "O certo é que aquilo que somos é mais o que sentimos num momento(...)" defini de uma forma simples aquilo que também acho mas nunca me tinha ocorrido definir assim. As circunstâncias que se nos apresentam definem ou ajudam também a definir-nos.

S* disse...

E ainda por cima estamos sempre a mudar. Somos nós, o que a vida nos faz ser e a força das circunstâncias.