quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Dos Erros


Quando se erra deseja-se fazer de novo, começar de novo, procurar novamente a solução, abrir outro horizonte, outro caminho, para assim se superar o erro, o qual pode ser inconsciente, consciente, distraído ou apenas por falta de reacção no tempo certo. A vida é feita de erros, uns que se conseguem reparar, outros não. Alguns ficam no limbo, perdidos para sempre em nós, alimentando uma amargura somente superada pela esperança de um dia sermos capazes de voltar a tentar e então, alimentados pela sabedoria da experiência, não voltar a cometer um erro. Os erros ensinam-nos, ou deveriam ensinar, deviam apontar qual a chave para a sua solução, mas por vezes são mudos ou nós demasiados cegos para ver. Os erros persistem e vão persistir, sempre, ontem, hoje, amanhã, resta saber como os vamos encarar, se os esperamos à partida ou se os esquecemos para assim perdermos o medo que o seu simples vislumbre provoca.

8 comentários:

Crente disse...

Como li uma vez: os erros são o motor da evolução.
E gosto de os encarar assim, como alavanca para novas aprendizagens, para nos reconstruirmos (ainda que aos poucos).
Bjs

Margarida disse...

Os erros fazem parte de nós, do que somos e como somos... Erramos mais ou menos, consoante arriscamos mais ou menos... Nenhum erro será em vão, enquanto o reconhecermos e soubermos, com ele, crescer...

Voltarei,
Beijinho...

FUSCHIA disse...

bem ao encontro do meu post de hoje. Obg pelas tuas palavras

L'Enfant Terrible disse...

Margarida
Sê bem vinda!

Fuschia
Sê bem vinda!

c. disse...

Resta-nos evoluir sempre com cada erro!

*

Nirvana disse...

Os erros servem para aprendermos. É aí que têm alguma utilidade. Porque não lhes vejo outra. Não gosto de errar. Acho que ninguém gosta. Por isso os choramos e tentamos não os repetir.

Beijinhos

GATA disse...

O pior é quando certos erros estragam a nossa vida...

Marta disse...

Há quem diga: se pudesse voltar atrás fazia tudo de forma diferente. Isto é um erro, porque mesmo que isso fosse possível voltaríamos a fazer o mesmo. Assim não olho para as nossas atitudes como um erro mas sim como causa/consequência.

Venha o que vier...eu sou True!

Bjs