terça-feira, 28 de setembro de 2010

Foste...


Foi assim que me deixaste, desapaixonado, frio, seco, um calcário inerte que se deforma ao tocar das lágrimas. Sem voz, sem luz, terra árida que arde sob um Sol tórrido, implacável e que gela sob a noite vazia e glaciar. E o silêncio, o silêncio impera sempre ao lado da solidão, sua eterna companheira, cortante, pesado, que se mistura num grito que pulsa sem parar.
Foi assim que me deixaste, inerte, vazio, mais que perdido e muito longe de ser encontrado, mais indeciso que nunca, mais eu no meu pior que no meu melhor.
E foste, assim como chegaste, de um dia para outro, deixando o rasto da memória inscrito no caminho da minha vida...

5 comentários:

Sairaf disse...

Espero que um dia ela apareça!!! A tal!!
Abraço doce e com muitas esperanças
Sairaf

Nirvana disse...

Muito bonito, Terrible. Pode falar de tristeza, mas é um texto bonito! Transformar a dor, a perda em belas palavras...és um poeta, caro Terrible.
Bjnhs

Anira the Cat disse...

Como sempre, um texto cheio de sentimento...

Bjokas

Sofia disse...

Wow, mas tu escreves de uma forma que me deixas sem palavras...assim não vale!
Beijinhos,Sofia

'Mimi disse...

Pois é mais ou menos isso que se passa...