quarta-feira, 6 de outubro de 2010

A verdadeira verdade


Toda a gente gosta de dizer que quer a verdade, que ser verdadeiro é bom, que ser verdadeiro é quase um dom raro nos dias que correm. Contudo sempre que alguém é verdadeiro não é compreendido, desconfia-se, ignora-se, julga-se ser trapaça, tanto mais que a verdade pode também significar uma indecisão, algo longe do concreto aliás, uma das coisas mais difíceis de proferir é exactamente a dúvida, por a maioria quer confiança, quer poder de decisão, quer saber, confundindo realidade com algo sólido. Mas não, a realidade é por demais inconstante, cheia de pontos de interrogação, cheia de um conjunto de factores que mudam constantemente sem dar sossego. E aqui entra a verdade, quando somos confrontados a dar uma resposta, a dizer o que queremos, o porquê dos nossos actos, o que fazemos, porque fazemos e para onde queremos ir. Essas são as perguntas, questões para as quais se quer a verdade, mas na verdade querem respostas concretas e o concreto não é sinónimo de verdade, são duas coisas diferentes, díspares, que se podem encontrar por vezes, mas também podem nunca se ver. E é nesses momentos, em que a verdade é tão simplesmente indecisão, um vácuo de ideias reais e definidas, que é tão difícil de a proferir, porque é difícil alguém entende-la.
A juntar a isso há também a verdade que todos conhecem mas ninguém quer admitir, a verdade que dói, magoa, que é cruel e vil, dando ao aspecto dourada da expressão a tonalidade das trevas, escuridão que se prefere guardar, esconder, comprimir na esperança que assim desapareça ou que ninguém a procure. Mas quando é libertada todos a esperavam de alguma forma, sabendo mas não a querendo ver, preferindo acreditar que talvez houvesse algo mais na esperança constante que a verdade fosse outra, fosse diferente, fosse tudo menos aquilo que surgiu e segue-se a desilusão.
Em suma, quando alguém quer a verdade quer realmente ouvir aquilo que deseja mais do que a verdade propriamente dita.

6 comentários:

by "A Invisível" disse...

Senhorito amigo Terrible;

Estas palavras que acabas-te de escrever, era tudo aquilo que hoje me apetecia escrever. E sim, concordo contigo, muitas pessoas querem ouvir as verdades que desejam, assim como muitos julgam todos por igual. Muitas pessoas estão esquecidas que, existe sempre uma excepção à regra.

Chego à conclusão que a desconfiança prolifera a cada dia ficando enraizada cada vez mais, entre a sociedade actual.

Beijinho e óptimo dia*

Margarida disse...

Aprendi essa parte do querer a verdade e não a querer, de facto, muito recentemente... Ofereci, contra tudo e contra todos, a verdade. Ninguém a compreendeu, muito menos a pessoa que a pediu... Há verdades que cuja explicação está no sentir... Só assim se perceberá verdadeiramente. Mas, quando o sentir, em nós se encerra, então, nunca compreenderão essa nossa verdade.

hierra disse...

Ainda assim, mais vale uma verdade dura do que uma mentira piedosa...

Olhos Dourados disse...

Pois é, porque a verdade pode custar ouvir.

S* disse...

Todos mentimos. E ninguém gosta de ouvir TODA a verdade.

Anira the Cat disse...

Todos pedem a verdade, mas poucos a suportam...

Bjokas