sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Desertos


Tenho uma vontade imensa que me faz ferver por dentro, que explode fazendo com que me lance à procura de algo que não sei o que é. Há expectativa que me ilude, que me persegue, que parece estar à minha beira ao mesmo tempo que não existe. Parece que tudo pode surgir, parece que tudo pode acontecer e a energia é tanta que nem sei como lidar com ela. Procuro refrear, acalmar, mas vejo-me processar tudo a uma enorme velocidade, sinto uma alegria que parece retumbar no meu corpo sem razão alguma. Sei que me engano, sei que é apenas mais uma esporádica erupção, sem um motivo válido a não ser acreditar por momentos e deixar-me ir para depois tudo se remeter para um deserto onde tantos esqueletos idênticos foram sendo deixados para trás, cobertos pela areia, batidos pelo vento, secos, fragmentados e esquecidos pelo horizonte distante da monotonia disperso por um campo árido que acaba por ser a realidade da vida.

3 comentários:

GATA disse...

Take it easy, boy... don't play with fire or you'll get burned!

S* disse...

Tens de te controlar se sabes que nada vai mudar.

A Minha Essência disse...

Sabes, por vezes tenho vontade de me enfiar num deserto!

Beijo