domingo, 14 de novembro de 2010

Duas faces


Só tenho dois modos. Ou sou demasiado transparente, honesto e sincero, ou sou demasiado reservado, manhoso e complicado. Tanto um como o outro têm vicissitudes e problemas. Tanto um como o outro sucedem-se mediante os cenários, as pessoas. Tanto um como o outro alternam entre si num mesmo discurso. Porque há coisas que não sabemos como dizer e outras que apenas fazem sentido quando as dizemos da única maneira que são. Porque há coisas que se podem dizer e outras que não se podem pronunciar, pelo menos de imediato. Porque há coisas que não nos parecem bem, ou parecem ideais, mas não temos capacidade para julgar ou julgamos mal. Porque há pessoas e pessoas, umas que sabemos perceber e compreender o que dizemos e outras que desconhecemos por completo. Porque há frases fáceis e outras difíceis que se tornam mais difíceis quando não sabemos o impacto que vão ter, ao mesmo tempo que é tão fácil fazer com que tenham impacto. Porque há dias e dias, vontades, modos de estar, de espírito, coisas que se controlam, outras que nos controlam e muitas mais que não controlamos. Porque há o exterior e o interior, sendo que o último é sempre uma surpresa, para nós e para os outros.

6 comentários:

Marta disse...

Acho que no fundo todos somos assim!

hierra disse...

Depende da fase da vida em que estamos, umas vezes cremos mostrar-nos aos outros, outras nem por isso!

hierra disse...

Depende da fase da vida em que estamos, umas vezes cremos mostrar-nos aos outros, outras nem por isso!

S* disse...

Eu gosto de dar a minha cara, que é só uma, para tudo.

Girl in the Clouds disse...

Provavelmente todos temos duas facetas e temos a capacidade de adaptar à situação!

GATA disse...

Eu já fui mais aberta, agora sou mais fechada, por vezes demasiado fechada...