sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Muros


Por vezes ergue-se uma barreira entre duas pessoas, levantada por uma parte, por ambas ou até por uma terceira força ou entidade. Esse muro distorce o que cada um diz, provoca o silêncio que é acordado por súbitos e violentos gritos provenientes de uma raiva que cresce de dia para dia. Essa barreira desequilibra, cria uma névoa que esconde e altera tudo o que se diz, o que se vê, o que é feito, não permitindo ver com clareza, escondendo os olhares, sendo contrário ao encontrar das palavras certas, ao ultrapassar das dificuldades pelo destruir o medo e acima de tudo de criar a sabedoria ouvindo o coração. Esses são os muros que tentamos quebrar, que se querem saltar ou arrasar. Alguns conseguem faze-lo, outros pensam ter conseguido, mas muitos mais permitem-se dormir encostados a eles habituados que estão à sua presença dantesca e asfixiante.

4 comentários:

GATA disse...

Neste momento gostava de ter um muro à minha volta que impedisse todo o mal de entrar...

'Mimi disse...

Às vezes o mais fácil é manter esses muros, sempre nos magoamos menos

hierra disse...

Acho até que se tem que viver com os muros!!!

S* disse...

Eu tenho noção de construo muros... mas se me souberem conquistar, deito-os abaixo num instante.