segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Partes em conflito


Em muitas ocasiões não se deve pensar. Deve-se sim ouvir o coração e seguir os instintos. Os problemas no entanto acontecem quando o que o coração diz entra em conflito com o que os instintos desejam e pelo meio surge a consciência, árbitro fraco e muitas vezes corrupto que não consegue por ordem na discussão latente, acabando por incendiar ainda mais o caos, que passado a fase aguda, mantém as partes em situação de guerra fria permanente.

12 comentários:

Sairaf disse...

Como compreendo esse conflito, estou a passar por um.
Ligeiramente perdida!!
Abraço doce
Com carinho
Sairaf

Margarida disse...

E tudo complica... Porque em raras vezes os instintos ou o coração vão de encontro ao que o pensamento determina... Ou por se querer sentir, ou por não se querer sentir o que, mais tarde ou mais cedo, pode provocar um sentir diferente... que dói...~

um beijinho

GATA disse...

Eu nunca sigo o coração, porque já sei que me lixo sempre! :-)

'Mimi disse...

É sempre complicado saber qual dos impulsos escolher... O coração por vezes só vem complicar

S* disse...

Se eu agisse por impulso, provavelmente era mais feliz. Mas custa tirar os pés do chão.

A Minha Essência disse...

De facto é complicado, mas essencialmente temos que ter consciência que de cabeça quente nunca tomamos a decisão mais acertada. Por isso o reflectir... ouvir o coração e a mente porque ambos andam de mãos dadas e um completa o outro... e de espírito tranquilo sempre, mas sempre acertamos no que efectivamente é o melhor para nós! :)

Beijo

hierra disse...

Eu aprendi a não tomar lados, nem defender posições a quente, até porque umas quantas vezes, me decepcionei. A pessoa que defendi, acabou por se revelar pior do que a outra que não defendi. Acho que só com o tempo se consegue perceber quem é que tem razão numa contenda, qual é o lado certo ou o menos certo.Por outro lado, tb odeio aquela fase em que há desconfiança e em que impera o período da guerra fria...:)

hierra disse...

Eu aprendi a não tomar lados, nem defender posições a quente, até porque umas quantas vezes, me decepcionei. A pessoa que defendi, acabou por se revelar pior do que a outra que não defendi. Acho que só com o tempo se consegue perceber quem é que tem razão numa contenda, qual é o lado certo ou o menos certo.Por outro lado, tb odeio aquela fase em que há desconfiança e em que impera o período da guerra fria...:)

Mona Lisa disse...

Hmmm...pois é...O comentário da Gata podia perfeitamente ter sido escrito por mim.

Marta disse...

Para mim não resulta, quando faço as coisas por impulso e sigo o coração magoou-me e a queda é brutal.
Prefiro ser racional.

Patife disse...

Guerra fria é a expressão certa. ;)

DoceSussurro disse...

A eterna dicotomia!!

Eu desde sempre, segui mais o coração.. Não sei ser de outra maneira...

Beijinho*