domingo, 12 de dezembro de 2010

Aquilo que esquecemos


Por vezes perdemos algo e atribuímos a culpa aos outros, à sorte, ao destino, a toda uma série de figuras celestiais, mas acima de tudo aos nossos defeitos e acções. Nessas alturas a única forma de superar é aceitar as coisas como elas são, sendo que em muitas casos tendemos a ter vontade de mudar quando julgamos que parte da culpa é nossa, queremos melhorar, limar arestas, atingir outro patamar por forma a prepararmo-nos para a ocorrência de uma outra idêntica situação. Mas essa tentativa de mudar é também um engano, uma ilusão, uma reacção imediata a um trauma ainda bem presente tendente a puxar-nos para a frente somente o suficiente para que consigamos prosseguir ao invés de ficarmos a cismar na contrariedade que nos ocorreu, para depois, passado algum tempo, quando surge situação igual agirmos de forma semelhante. Tudo porque há coisas que não podemos mudar e outras que por mais que nos tentemos adaptar nunca estamos preparados para as enfrentar. E tantas vezes esquecemos isso.

6 comentários:

hierra disse...

Sim , há coisas que não podemos mudar e o que não tem de ser tb tem muita força!

S* disse...

A realidade não muda somente porque queremos que mude... exige esforço... e às vezes nem isso resolve.

A Minha Essência disse...

Esquecemos porque talvez é o caminho mais fácil. Talvez...

Girl in the Clouds disse...

Realmente quando acontece algo assim, pensamos em que é que erramos, em que podemos melhorar, mas a nossa essência mantém-se, o que é nosso a nós vem ter, nada acontece por acaso!!

Smurf disse...

Nâo diria melhor e reflecte muito de mim em determinadas alturas da minha vida.
Vou copiar. :)
Bjs

GATA disse...

Eu bem tento usar o lema dos AA (Senhor, dai-me serenidade para aceitar o que não posso mudar, coragem para mudar o que posso, e sabedoria para saber a diferença) mas depois irrito-me, tenho um ataque de mau feitio e lá se vai a serenidade e tudo o resto!