domingo, 20 de fevereiro de 2011

Ciclo vicioso


Como um cão que corre atrás da sua cauda é aquilo que sinto muitas vezes. Às voltas, atrás do mesmo, que sei que não posso apanhar, apenas e só porque não sei outra coisa fazer, ou não consigo simplesmente sair desse gesto continuo que me mantém, ele próprio, preso a uma realidade em tudo semelhante, em tudo idêntica à de ontem e anteontem. Para se quebrar um ciclo vicioso é preciso esquecer devagar, deixar o tempo passar ou de forma mais radical cortar e criar uma ruptura que altera tudo mas cujas consequências são depois mais difíceis de digerir. No fundo a contraditoriedade das soluções traduz-se não na solução mas no próprio problema, visto que também elas se anulam e fazem perder, por serem elas próprias um ciclo que não se abre nem fecha, apenas se mantém, mantendo-se assim tudo o resto, que gira e continua a girar, sem nunca parar…

3 comentários:

'Mimi disse...

E deixar velhos hábitos é tão complicado...

S* disse...

A vida muitas vezes é um ciclo vicioso... mas acredito que podemos alterar o rumo da história.

A Minha Essência disse...

Oh céus! Assim se torna complicado de facto.

Kiss