segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Sapos


Quase tão certo como a morte é umas vezes por outras engolirmos sapos. Bem tentamos não o fazer, mas o diabo do anfíbio volta e meia salta para dentro das nossas goelas e lá temos de o encaminhar directamente ao estômago. Aprender a faze-lo não é fácil, muito mais difícil ainda é superar esse facto, sendo algo que faz parte da nossa aprendizagem como pessoas e por isso é necessário que nos habituemos a digerir tais situações, as quais surgem normalmente quando menos se espera, quando julgamos ter uma certeza e nos retiram o tapete debaixo dos pés quebrando toda a segurança que havia. Alguns fazem de tal ementa um hábito porque já aprenderam a gostar da mesma, outros porém, odeiam, choram e barafustam sempre que se propicia o consumo da iguaria. Engolir sapos não é fácil, nunca é para quem não gosta e sobretudo para quem faz tudo para o evitar, mas por mais cuidados que se tenha é muitas vezes um mal necessário para que possamos aprender mais sobre os outros, mas acima de tudo, mais sobre nós próprios e a nossa postura.

4 comentários:

Psiuuuu!!Sou eu! disse...

Concordo plenamente :)
Um bom dia

Bjinhos

Margarida disse...

Sem tirar nem pôr... são inevitáveis...

Beijinho

*B* disse...

Sapitos ainda se engolem. Ursos não.

:)

GATA disse...

Já engoli tantos, mas tantos, que devo ter uma colónia anfíbia algures nas minhas entranhas.