quinta-feira, 24 de março de 2011

Aceitar

Aceitar a mudança, o fim ou o início é difícil, mais ainda mais quando não o esperamos, ou esperamos mas só o aceitamos conscientemente, mas não inconscientemente, como se algo estivesse cá dentro a contrariar aquilo que há muito a razão já percebeu. Aceitar traduz-se muitas vezes numa recusa ilógica, num grito de raiva e revolta, que como um último suspiro parece emanar de nós, como que a irradiar o pouco que restava e estava escondido no nosso interior. Aceitar é a razão das coisas, da vida, algo que se tem de fazer, de viver com, para não se sucumbir à loucura ou à ilusão que tantas vezes nos contamina. Aceitar é esse lamento longo que carrega o desanimo, o olhar que baixa e parece ficar cego, é o apetite que falta e a vontade que agonia. Aceitar é também superar, mas nem sempre nos convencemos que o conseguimos fazer ou se o vamos ser capazes de fazer.

3 comentários:

Margarida disse...

Daí que nem sempre sejamos capazes de aceitar... Principalmente quando aceitar, significa reconhecer que se perdeu, aquele momento, aquela oportunidade, aquela pessoa... Aceitar ajuda a prosseguir, mas o caminho nunca ninguém disse que era fácil...

Beijinho :)

Psiuuuu!!Sou eu! disse...

Acredito que aceitar é acima de tudo superar, mas exactamente como tu descreves, aceitar muitas vezes é algo muito dificil, já vivi muito tempo sem conseguir aceitar o que era óbvio, preferi fazer de conta... mas acaba por ser muito mais doloroso, é preferivel dar o passo da aceitação e superar.
Como tudo é um processo, umas vezes mais fácil outras mais dificil dependendo de tudo o que envolve e passando por tudo o que descreves...
:)

GATA disse...

Depende da mudança! Com tanta 'mudança' difícil na minha vida, eu aspiro à pasmaceira!