sábado, 26 de março de 2011

Das oportunidades

Dizem que as oportunidades estão ali à nossa beira, por detrás de cada porta que abrimos, que surgem do nada, que basta um olhar, um gesto, algo que permita a concretização das mesmas. Deste modo, o problema coloca-se não na oferta mas sim no facto de não sabermos perceber, ver ou aproveitar as mesmas. Para tal é preciso atenção, é preciso audácia e argúcia para que uma oportunidade, qual semente que se expõe à nossa frente, possa ser colhida, tratada e assim crescer para nosso beneficio. Contudo mesmo quando se encontra, quando se vê, quando se percebe algo, é preciso aquele ímpeto do momento, a palavra dentro do contexto, aproveitar o take oportuno em que se diz “acção”, mas não para actuar, não para fingir, mas agir com total serenidade, com toda a confiança e naturalidade, improvisando um guião perfeito. De outra forma, podemos ser mestres em encontrar, mas sem saber agir em conformidade de pouco servem as oportunidades, venham elas de onde vieram, camufladas ou não.

2 comentários:

Cláudia Neves disse...

Selo para ti no meu blogue. ;)

hierra disse...

é preciso estar à altura delas!!!