quarta-feira, 16 de março de 2011

Miragem

De pouco serve ter um plano, um objectivo, definir um fim quando não há vontade para concretizar, para prosseguir, nascendo tal da necessidade de fugir de forma incompleta da solidão, do aborrecimento, da letargia que se apoderam de nós nos momentos difusos, pouco definidos. Quando buscamos algo nesses termos o que queremos é sentir a capacidade de voltar e ser, de conquistar a vontade, mas para tal é preciso mais do que teorizar uma acção concreta, antes temos de nos redescobrir, de nos encontrar para  trazer de volta a nossa essência e isso carece de tempo, de ponderação, pelo que fugir tentando ir contra o que sentimos mais não é que perder o rumo no deserto e em vez de caminharmos para um oásis, perseguimos uma miragem.

3 comentários:

A Minha Essência disse...

Sem dúvida! Primeiro temos que nos conhecer para depois nos darmos a conhecer.

Kiss ;)

S* disse...

Pôr toda a nossa força em tudo o que fazemos. :)

Anna disse...

É tudo uma questão de medo e de insegurança... queremos ir, mas hesitamos... e tantas vezes acontece que, quando finalmente nos decidimos a avançar, já a miragem está fora do nosso alcance...