segunda-feira, 11 de abril de 2011

Cara-metade

Numa boa parte das vezes é a primeira aquela que marca, a que fica mais do que qualquer outra, mas também pode ser a segunda, a terceira, ou qualquer uma que se atravesse ou venha atravessar no nosso caminho. Aqueles que têm sorte sabem nesse exacto momento que é esse o caminho, a síntese, não sofrem dúvidas, não mudam de direcção ou rodopiam sobre si próprios, ao invés disso caminham em frente confiantes e firmes obtendo, muitos vezes de forma inconsciente, aquilo que tantos aspiram sem conseguir. Mas para muitos, talvez para uma grande maioria não é isso que acontece. Diversos factores, internos e externos, acabam por se meter no caminho, fazendo duvidar daquilo que se sente na certeza que de tão fulminante acaba por nos baralhar e mais além no tempo, curto ou longo, olhando para trás, é que nos apercebemos, pela intensidade do que sentimos, que foi e não voltará a ser. Mesmo quando se julga encontrar outra, mesmo que se encontrem tantas mais, haverá só uma, passada ou ainda por vir num tempo futuro e mais nenhuma pode competir com essa, porque a cara-metade é algo ímpar, é aquela, a definitiva, que tantas vezes julgamos ter encontrado no desespero do engano, mas a verdadeira, a singular, é que a nos fica para sempre na memória quando a deixamos passar ao lado, ou quando nos apercebemos fora de prazo que deveríamos ter feito mais, olhado de outra forma, enfrentado dúvidas, conflitos, medos, porque a vida é só uma e a felicidade ou se agarra ou se perde.

7 comentários:

Psiuuuu!!Sou eu! disse...

Nem mais!
Boa semana :)

Girl in the Clouds disse...

Acho que podemos ter uma cara metade em determinada altura e depois no futuro essa cara metade ser outra, não podemos é viver presos ao passado! Ainda que haja alguém que marca sempre mais!!

GATA disse...

Mas porque raio temos que ter uma 'cara metade'? Ah e tal temos que casar e procriar... NÃO, NÃO TEMOS!!! E quem disse que só se é feliz acompanhado? Eu sou mais feliz (e tenho mais paz) desde que 'despachei' a Criatura da Lagoa Negra. Aliás, se há coisa certa que fiz na vida, foi essa!

S* disse...

Tão bom ter a certeza, a tranquilidade de se saber ter feito a escolha certa. :)

A Minha Essência disse...

... :(

Kiss

Isis disse...

A grande diferença é quem perde o medo e arrisca e quem fica a pensar e nada faz. Só depois de arriscar é que se pode sentir/dizer se é a cara metade.

Anna disse...

Cada vez estou mais céptica quanto a isso... Dizem-nos que há uma metade para cada um de nós, que a saberemos reconhecer quando nos cruzarmos com ela... e no entanto não sei... como vencer a insegurança de vir a deixá-la passar despercebida?
Eu confesso que não sei... juraria há uns meses atrás que a tinha encontrado... Mas se assim tivesse sido, essa pessoa também me teria encontrado a mim e, logo, não teria seguido um caminho diferente do meu... Não sei...
Haverá realmente essa coisa de "cara-metade"?...