segunda-feira, 2 de maio de 2011

Amor e ódio

É comum dizer-se que uma linha ténue separa o ódio do amor, como se fossem ambos faces da mesma moeda, equilibrando-se assim em partes iguais. No entanto creio que as diferenças entre os mesmos são imensas. Desde logo o ódio é sempre mais fácil do que o amor, não é preciso muito para se odiar, ao passo que com o amor é sempre mais complicado e mesmo nos casos em que acontece “como por magia” dá muitas vezes voltas e mais voltas até se atingir o seu verdadeiro patamar. O ódio não precisa de muito para subsistir sendo constante, ao passo que o amor é inconstante, tem altos e baixos e não raras vezes se extingue tal como surgiu. Assim sendo há um desequilíbrio profundo entre o amor e o ódio, são dois pratos da balança totalmente opostos ao invés de se encontrarem em planos paralelos, não se tocam, nem estão à beira de se tocar, quanto mais não seja pelo facto do amor ser raro e ódio ser tão comum.

9 comentários:

Eva Gonçalves disse...

Espero que o amor não seja assim tão raro, nem o ódio tão comum assim!! Penso que o ódio, pode oscilar tanto como amor, e é igualmente inconstante,Quanto a estarem em polos opostos, estão... mas tocam-se muitas vezes, porque são permeáveis. Imagina um elástico que se estica e depois larga... as pontas estão afastadas mas ao largar, elas podem se cruzar, entrelaçar, aproximar e voltar ao s+itio ou permanecer emaranhadas, tudo depende de quanto se estuca :) E estás enganado...o amor não é tão raro assim... o que ele não é, é eterno... conceito que interiorizamos como sendo uma qualidade inerente ao amor, e que não o é de todo. E também te digo que mais facilmente se deixa de odiar alguém do que de amar alguém, pois depende mais da nossa vontade do que o segundo caso. :) beijinho

Margarida disse...

Talvez por tão difícil ser alcançar o amor, tão fácil ele se possa transformar...

Utena disse...

Considero-as forças antagonicas com a mesma capacidade de nos mudar e de mudar o mundo.
Mais uma vez parabens pelo texto

hierra disse...

Para quem ama, é muito fácil odiar...para os demais talvez não!

Carolina Tavares disse...

Realmente ouço muito que são duas faces da mesma moeda.

Acredito que o amor pode se transformar em ódio mas será que o ódio pode se transformar em amor?

E o amor que se transformou em ódio um dia foi amor de fato?

ADEK disse...

Também acho que nem o amor é assim tão raro, nem o ódio é tão comum. Espero eu!

S* disse...

Não associo os dois sentimentos. Sou muito capaz do amor, mas não do ódio.

A Minha Essência disse...

E assim andam os dois de mãos dadas...

Kiss ;)

Girl in the Clouds disse...

Eu estou de acordo com o teu post, ainda que seja uma linha ténue que os separa, sem dúvida que o amor é mais difícil de alcançar e por vezes o caminho sinuoso!!