sábado, 28 de maio de 2011

Falhar

Uma das coisas que mais me irrita em mim mesmo são as minhas falhas. Não as falhas conscientes, embora essas também me irritem mas num outro patamar de irritação, mas sim as falhas inconscientes, aquelas em que falho porque não me apercebo de, ou estou a pensar noutra coisa, distraído que sou e não reparo naquilo que tenho de reparar, de agir como deveria agir e assim espalhar-me ao comprido para depois não ter argumentos válidos para me justificar, porque justificar a distracção ou a pura falta de atitude correcta no momento certo é torna-se díficil de justificar. Da mesma forma tantas outras coisas, coisas feitas, coisas ditas, coisas pensadas, coisas por fazer e todas acabam nisso e só nisso, na perfeita falha, facto que me deixa a pensar, que me dá desejos descomunais de poder voltar atrás, de refazer, de voltar a fazer reset e jogar novamente para chegar ao fim do nível. Talvez a maior das minhas perfeições seja falhar, porque falho e falho muito, mais do que gostaria, mesmo quando tento não falhar, quando faço o oposto disso mesmo, acabando no entanto por falhar novamente, não no agora, mas no depois e carregar o peso de falhar é sempre difícil, porque tal deixa-me retraído, preferindo tantas vezes recuar e não avançar somente para não ter de falhar, quando o facto de não agir e permanecer estático é por si só uma estar a falhar novamente.

6 comentários:

hierra disse...

Bem eu tb sou um bocadinho assim , custa-me a sair da zona de conforto como se costuma falar mas tb tenho a certeza de que quem não arrisca n petisca....contudo só arrisco em condições muito favoráveis

Utena disse...

O melhor de falhar não será crescer?
Falhando aprendes... evoluis e só não falha quem, nada faz!
E se as detectas e evitas repetir só por isso já valerá a pena
=)
Bjo

Fábio Paulos disse...

falhar/errar faz parte da nossa vida, é uma maneira de aprendermos. abraço

100 remos disse...

Eu sou assim também! Essas falhas inconscientes irritam-me de tal maneira que por vezes deixo-me consumir por elas! Bjito

Laura M. disse...

Acho que perdemos demasiado tempo das nossas vidas, resignados ao medo de falhar.
Concordo contigo quando dizes que esse tempo de impass, é por si só, uma falha da nossa parte.
O erro é algo indissociável da vida.
A dinâmica de conseguir lidar com essa inevitabilidade, é extremamente complicada.
Quando descobrires o truque, avisa:)

GATA disse...

Falhar, todos falhamos. A diferença está em aprender com essas falhas. Não digo tentar ser algo que não somos mas sim tentar ser uma versão "revista e melhorada" de nós mesmos! :-) Mas para tal é preciso querer mudar...