terça-feira, 31 de maio de 2011

Os cães olham e a caravana ladra

Nunca percebi muito bem a razão das campanhas políticas na rua. Sempre que há eleições lá vão os políticos e respectivos acólitos pela estrada fora, de terra em terra, de rua em rua, de mercado em mercado, sempre acompanhados pelos respectivos jornalistas que fazem o frete de os seguir. Distribuem papéis, autocolantes, panfletos, umas t-shirt’s, bonés e mais umas lembranças, fazem uma espécie de carnaval improvisado onde aparece sempre quem queira dar os cumprimentos ao líder e dizer que o apoia porque é bonito. Sim, porque é bonito ou porque o acha simpático. Dizem os políticos que a campanha porta à porta se destina a passar a mensagem, a sua mensagem, como aliás o fazem os senhores das tv´s por cabo que nos enchem a caixa de correio com panfletos da mais recente promoção, as quais deitamos fora sempre a reclamar de ter tanto lixo e não sobrar quase espaço para o correio importante. Duvido por esta altura que as pessoas não conheçam a maioria dos candidatos e as suas mensagens. Duvido igualmente que todas as senhoras da fruta e peixeiras que trabalham num mercado não tenham já beijado com vigor boa parte dos candidatos, tanto mais que alguns têm um fetiche exclusivo pelas mesmas. Mas ainda assim continuo sem perceber a razão de tanto gasto de combustível, de contas em hóteis, de jantares e almoços, somente para aparecer ao vivo uma única vez e pedir o apoio popular. Desconfio que os políticos gostam de passear pelo País, para depois fazerem de conta e dizer que o conhecem muito bem, só por terem estado numa localidade uma hora ou duas ou nem isso. Também me parece que há narcisismo, de se sentirem aclamados por onde quer que passem, esquecem no entanto que o povo aclama-os a todos, de sorriso nos dentes, mas com a língua viperina do costume, porque todos sabem que venha quem vier, ficará tudo na mesma e do que todos gostam mesmo é de aparecer na tv, seja ao lado do candidato A, seja ao lado do candidato B, porque o voto desses há muito que está decidido, encontrando-se indecisos aqueles que, ao invés de aplaudir quem passa, lêem o que cada um diz e não escolhem pela beleza ou simpatia, mas sim pelas propostas, pela atitude e pelo passado de cada um.

7 comentários:

GATA disse...

Não sei se as campanhas passam pela minha terra... mas, se passam, certamente é quando eu não estou lá, porque nunca vejo/ouça nada! No entanto, já tive que fugir, em pleno Rossio, do Gonçalo da Câmara Pereira!!!

Anónimo disse...

Lêem o que cada um diz...

NÃO

"Lêem" o que cada um NÃO diz.


CachuxoFrito

Eva Gonçalves disse...

Desperdício de dinheiro... as campanhas de rua... e uma percentagem, paga por nós... enfim...

hierra disse...

Bem eu acho que tem de haver campanha mas ela existe para a discussão de ideias e programas de governo. Ora, nesta em especifico, já há programa, o da troika, logo discute-se muito pouco!!!!

Utena disse...

A verdade é que digam o que disserem ou não disserem... escrevam que quiserem no programa eleitoral 90% não é cumprido.
Muda as moscas mas fica na mesma a ....
Beijoca

" Smile disse...

Ora aí está uma pergunta que também eu tenho curiosidade em saber da resposta... Vou esperar que um dos comentadores te responda, porque isto realmente já começa a fazer confusão a demasiada gente...

A Minha Essência disse...

É sempre mais do mesmo.

:)