sexta-feira, 13 de maio de 2011

Violação pouco violenta

Aparentemente, segundo um colégio de juízes do Tribunal da Relação do Porto, os actos praticados pelo psiquiatra João Villas Boas num crime de violação a uma paciente grávida, não foram suficientemente violentos, pelo que o digníssimo Tribunal absolveu o dito médico.

Agarrar a cabeça da mulher pelos cabelos e obriga-la a fazer sexo oral, empurra-la para um sofá para obriga-la a realizar a cópula não são, segundo este Tribunal actos violentos. Resta saber o que serão para estes juízes actos violentos, se calhar os mesmos digníssimos magistrados estão habituados a agarrarem-se pelos cabelos uns aos outros obrigando-se a fazer sexo oral entre eles, ao mesmo tempo que se empurram a ver quem realiza a cópula com quem. Ou então os mesmos magistrados têm um fetiche por grávidas e este médico acaba por isso por ser um herói, o ideal a atingir. Deve ser por isso que a justiça tem processos em atraso, porque os juízes devem andar divertidíssimos a copularem uns com os outros, tudo na maior das brincadeiras, nada de violências, até porque a própria palavra “violação” não comparta por si só violência. Gostava de saber se o Código Penal apresenta alguma tabela, tipo a Escala de Richter, onde se apresente qual o grau de violência necessária num crime para alguém ser condenado, porque pelos vistos estes juízes têm acesso à mesma e tomam as suas decisões baseadas na mesma. 
Pergunto-me se o dito médico ou algum dos juízes aparecer por estes dias com a boca cheia de formigas numa valeta não será um acontecimento perfeitamente normal, se tal, é claro, for feito sem violência envolvida, afinal de contas uma mulher, ainda por cima grávida só foi violada de forma pouca violenta, desta forma se alguém morrer de uma forma pouco violenta os acusados devem, pela mesma ordem de ideias, ser absolvidos. Desta forma creio que fica patente entre a “classe” dos violadores de mulheres deste mundo, que as podem violentar à vontade, desde que o façam com jeitinho, sem violência, com meiguice.


[Por outro lado aconselharia, maridos, pais, irmãos, primos, avós e afins a resguardarem os respectivos membros femininos da família, em particular se estiverem grávidas, porque, ou muito me engano, ou abriu a época da caça!]

4 comentários:

Eva Gonçalves disse...

Isto é de uma falta de ética profissional a todos os níveis... do Psiquiatra, dos colegas que o defenderam... e dos Juízes.... o País e o sistema judicial que temos... Inacreditável que estes senhores Juízes não saibam o que constitui uma violação!!!!! Só porque a paciente, vulnerável psicológica e fisicamente, não pode resisitr e não foi preciso grande força física para a controlar, não foi usada violência... francamente!!!! e este facto,em vez de incrementar a acusação... diminui-a! ????? Uma vergonha isto.... Eu espero muito sinceramente, nunca estar num tribunal Português...

S* disse...

Raio de gente sem escrúpulos. Inacvreditável.

c disse...

eu não devia comentar... porque sei o que sente a vitima,nunca deixarei de sentir que fui. mas estas pessoas que andam por ai, deviam ser condenadas por negligencia(porque obviamente não sabem fazer o trabalho que lhes compete) e ele devia ser acusado de tentativa de homicídio!

Girl in the Clouds disse...

A justiça neste país tem muito que se lhe diga!!