sexta-feira, 24 de junho de 2011

Agradar

Agradar é talvez das coisas mais fáceis e simultaneamente mais difíceis de se fazer. A contradição do acto está no facto de que na maior parte das vezes agradamos sem ter noção de que o fazemos, porque o fazemos inconscientemente, sem pensar muito no assunto e tudo segue um caminho simples sem preocupações ou demoras que tais. Por outro lado no entanto há o reverso da medalha, quando se quer agradar e tudo o que se acaba por fazer é exactamente o oposto, isto devido à ânsia de se querer agradar, estica-se a corda, chega-se ao exagero e a naturalidade é algo cuja sombra nem se vê aos olhos dos outros, ao passo que nos nossos olhos apenas a cega ideia do querer se vislumbra, traduzindo-se num redondo insucesso. Seria fácil dizer que para se agradar basta sermos nós próprios e não pensar muito nisso, o problema é quando se quer e não se sabe como, e o que deriva daí é difícil de resolver, assim como para os outros, que facilmente agradam, tudo parece simples de fazer não compreendendo as dificuldades manifestadas por parte de quem tem de tentar para conseguir, aqueles para quem agradar é uma questão de sorte ou de azar, sorte de quem não tenta, azar de quem tenta e não sabe como, tendo de trabalhar muito para o conseguir e mesmo quando há mérito pelo esforço nem sempre há compensação pelo mesmo.

5 comentários:

GATA disse...

Se para agradar basta sermos nós próprios, então eu estou lixada!!!

Cláudia Nascimento M. disse...

"...e mesmo quando há mérito pelo esforço nem sempre há compensação pelo mesmo." Muitas vezes é assim!

Eva Gonçalves disse...

Concordo plenamente!

Cláudia Neves disse...

Antes agradar por aquilo que sou e faço do que fingir e ser hipócrita,que é o que se vê muito por aí.

Isis disse...

Guia-te pelo lema "sensibilidade e bom senso" e tenta agradar mas sem te anulares :)