quarta-feira, 29 de junho de 2011

Do suposto parasitismo sulista

Como é sabido os países do Sul da Europa são uns gastadores de dinheiro, uma espécie de parasitas, reis do desperdício, da má gestão e acima de tudo senhores da boa vida. Boa vida porque aparentemente temos mais regalias que todos os outros, em particular no que diz respeito aos países nórdicos. Reformamo-nos mais cedo, temos mais subsídios, mais férias, mais isenções, um aparelho de Estado gigante e demasiadas empresas públicas. Contudo, e por estranho que pareça, é nos países nórdicos que as pessoas auferem de boas reformas, têm sistemas de segurança social, de saúde e de educação ímpares, gratuitos e célebres, dos quais ninguém se queixa e para os quais, quem mora no Sul da Europa olha com inveja. Desta forma o nosso problema estará certamente noutro campo, num lugar para onde ninguém parece olhar, se temos tantas regalias o certo é que elas a nós sabem-nos a pouco, aliás, algumas não sabem a quase nada, mesmo assim querem retira-las não para nos salvar, mas para salvar o Estado da bancarrota, afirmando que isso é o equivalente à nossa salvação. Duvido, duvido mesmo muito e duvido ainda mais quando depois de anos e anos a viver à conta de supostas e inúmeras regalias como estar a pagar a gasolina mais cara que todos os outros, de esperar horas para ser atendido num hospital, de me dizerem para fazer um PPR porque quando chegar o meu tempo o dinheiro para a reforma desapareceu, de ter de pagar propinas para estudar na faculdade, de ter direito a subsidio de férias e de Natal SÓ porque tenho um contrato e de saber que se recorro aos tribunais para um assunto qualquer mais vale dar um tiro na cabeça. Estas são as nossas regalias e se os governantes dos países nórdicos as acham assim tão gritantes ao ponto de quererem tira-las da nossa alçada é porque certamente não sabem do que falam, ou então sabem, afinal de contas temos uma coisa única regalia real que eles não têm, Sol! Resta saber do que são capazes eles de fazer para a obterem, porque se querem culpados para alguma coisa é olharem para o lado, para seus homólogos colegas do Sul e em vez de apertos de mão e abraços podem sempre usar umas algemas e um pau quando se encontrarem com os nossos governantes, assim sim, seriam amigos e nós agradecíamos.

2 comentários:

Fábio Paulos disse...

muito bom, nós somos consumidores dos produtos desses países do norte, eles crescem porque nós temos um consumo descontrolado. Eles são um povo racista em relação ao sul, têm inveja do nosso sol, por isso é que muitos deles se mudam para os países do sul quando tÊm a sua reforma no bolso. Diferenças entre norte e sul sempre haverão, mas podem passar a ser menos.

abraço

hierra disse...

Pois que tens razão! Eu acho que eles olham para nós os do sul como lugares de bom clima e como acham que vamos muito à praia, pensam que n fazemos mais nada. Na verdade, o nosso estado corrupto e os nossos politicos da treta, sugam tudo o que produzimos e só eles têm regalias, os outros esperam nos hospitais e têm reformas de 200€ e por aí em diante. Os alemães então que se acham o máximo, têm uma bactéria na comida e põem a culpa nos pepinos espanhóis...prejudicando toda a Europa com a sua burrice ou será soberba?