terça-feira, 5 de julho de 2011

Causa-efeito


Por vezes dizemos que nada acontece por acaso, isto porque na nossa cabeça estabelecemos paralelos de forma quase imediata entre causa consequência ou vice-versa, traduzindo-se tal mais como um hábito do que uma realidade concreta. A criação de padrões algo típico do ser humano, não significando por isso que os mesmos aconteçam realmente, dando-se mais pelo nossa necessidade de combater o caos natural que nos rodeia do que pela substância real dos mesmos. Quanto a mim tento sempre lutar contra a formação dos padrões, mas raramente consigo, somente aqueles que se traduzem em algo físico como andar à chuva e ficar depois constipado tem mérito para existirem, todos os outros, que são visíveis apenas para nós numa escala unicamente consciente, luto para ficar cego perante os mesmos, isto porque não conseguimos distinguir se realmente são reais ou meras ilusões provocadas pelos nossos desejos e tantas vezes ao pensarmos neles como a chave para explicar algo ou para determinar o caminho a seguir, acaba-se por constatar que de pouco serve haver um padrão pois a conclusão nunca é clara e há sempre mais do que um caminho para seguir, sendo que as escolhas têm sempre de ser feitas e nem sempre são as melhores seguindo ou não um padrão.

4 comentários:

Ana disse...

Concordo contigo.
Aliás, acho mesmo que muitas vezes, é necessário rompermos com padrões porque senão, caimos numa espécie de ciclo vicioso que pode ser muito destrutivo e castrante da nossa vontade/felicidade.
Acho também que causa-efeito tem de facto, muito a ver com as nossas atitudes e conduta moral e usando um ditado (sou doida por ditados, confesso): "Colhemos aquilo que semeamos". Cabe a cada um de nós, quando colhemos e não gostamos da colheita, semear um pouquinho melhor e aasim quebrar um padrão ;)
Beijinho.

GATA disse...

Eu sou a rainha dos padrões, com tantos que existem sobre mim... é triste, porque isso significa que ninguém me conhece de verdade.

S* disse...

Gosto de ter mente aberta em relação a tudo.

A Minha Essência disse...

Acima de tudo arcar com os actos!