domingo, 3 de julho de 2011

Do perder


A razão de um desgosto não é somente perder, é também tentar e perder e perder tentando de forma diversa à anterior, resumindo-se tudo num rotundo insucesso, porque seja qual for a técnica a aplicar quem aplica é sempre igual, logo não é no processo que reside a falha mas sim em quem o tenta controlar. No entanto o processo pode ser estudado, pode-se mudar, pode ser aprimorado já o mesmo em quem o aplica é mais complicado de fazer, porque se há mudanças elas ocorrerem sem que se tenha noção disso, sem controle ou consciência das mesmas e quando se forçam deixa-se de ser para não se ser ou fingir que se é, não sendo de todo aquilo que se gostaria. A razão de um desgosto pode ser muitas coisas, mas um elemento é sempre central, a falha que de uma forma ou de outra se manifesta, o desejo não concretizado e a esperança que se esvazia para lugar nenhum.

4 comentários:

hierra disse...

eu acho que é mesmo isso, a esperança que vai pelos ares e que nos deixa uma ideia de olhar para um futuro que é necessariamente negro!

Ana disse...

Confesso que sou demasiado simplória para estes raciocinios...sempre estive mais envolvida em viver do que em racionalizar a minha vida, porque também à minha conta, cedo aprendi que muitas vezes, os nossos planos saiem completamente furados, principalmente quando a sua concretização está nas mãos de outras pessoas. Aprendi a dar a volta e a depender o minimo possivel (e saudável) dos outros para ser feliz.
Os desgostos ultrapassam-se, com força de vontade e com a esperança de que melhores dias virão. E trabalhando a nossa personalidade.
Beijinho.
Ana

Utena disse...

Concordo com a Ana, as percas fazem parte da vida como os ganhos... ter a esperança que melhores dias virão e seguir a vida com a ideia que tudo o que acontece tem sempre com incentivo um crescimento pessoal.

=)

GATA disse...

A vida é feita de perdas e ganhos, quiçá a minha tenha mais perdas que ganhos, ou então perdas mais violentas... mas é a minha vida, e resta-me aceitá-la e (tentar) vivê-la.