quarta-feira, 27 de julho de 2011

Volatilidade


Difícil é quando numa noite se adormece de um modo para no dia seguinte se acordar de outra forma, mudado, alterado, tudo ao contrário, quase metamorfoseado, diferente mas igual na embalagem. Procura-se então a razão, mas ainda mais a memória do dia anterior, como se um modo de estar ficasse inscrito em nós pronto para ser revelado quando chamado à lembrança. Mas não, tudo se sucede num campo onde o pensamento pouco pode fazer, embora o pensamento seja vitima, refém de um estado que se alterou depois de uma noite de sono, sem razão aparente, pela única razão que nada é eterno e tudo é mudança constante, ontem de uma forma, hoje assim, amanhã de outro modo, conjugando-se tudo numa matriz que acaba por ser a nossa, nem sempre como queremos, mas da única forma possível, à qual temos de nos adaptar, de uma forma ou de outra, não existindo outro caminho senão esse.

3 comentários:

Girl in the Clouds disse...

Eu acho que quanto maior a capacidade de adapção, melhor vivemos!! Beijinhos

Z...! disse...

"nada é eterno e tudo é mudança constante"...

Ler-te é mesmo apaziguador!

Bem hajas, rapaz!

hierra disse...

É melhor não dormir sobre o assunto :)