terça-feira, 13 de setembro de 2011

...


O amor pode tornar-nos cegos, estúpidos e para além disso coloca-nos ainda num estado em que não nos reconhecemos, em que todas as nossas faculdades parecem falhar e mais ainda a razão, que julgávamos como algo adquirido entra num perfeito estado do qual só podemos desconfiar. Mas bem estaríamos se fosse só perante o amor que toda essa conjugação se produzisse. Não. Quase todos os sentimentos que podemos sentir podem levar a isso, particularmente aqueles que são mais intensos, como o orgulho, a raiva, o desespero e tantos outros que nos possuem, para nos toldarem as ideias, alterarem o normal curso dos pensamentos, fazendo assim que tudo o que se veja não corresponda à realidade, da mesma forma que a reacção à mesma acaba por ser uma incógnita que raramente sai bem e tendo repercussões negativas, tanto para nós, como para aqueles que nos rodeiam.  De tal não estamos livres, restando por isso tentar controlar aquilo que no entanto surge exactamente fora de qualquer ordem de lógica e na total liberdade, acabando por nos diferenciar da matéria inerte.

3 comentários:

hierra disse...

Ah é cego é!Ceguinho!

A Minha Essência disse...

Esses estados fazem parte desses sentimentos. No entanto, só nos cabe a nós ter a percepção do mesmo. É difíci, é! Mas, não impossível! :)

GATA disse...

Amor? Só o próprio, e não todos os dias!