quarta-feira, 21 de setembro de 2011

...

O concreto da existência perde-se por entre as teias daquilo que tantas vezes pensamos ser uma certeza, quando no fim de contas a certeza é apenas um artificio que serve unicamente para nos orientar, uma base que nos fixa os pés à terra, ponto do qual tantas e tantas vezes queremos fugir, escapar, esquecer para poder voar e alcançar o outro extremo que é o concreto da ilusão, do sonho, daquilo que se quer apenas sentir e desejar sem barreiras, numa liberdade irracional que dura por curtos momentos, conduzindo-nos tanto ao sublime na subida, como ao desastre na descida.

2 comentários:

A Minha Essência disse...

Subir é fácil, mas descer é difícil! Porém, a queda, é num ápice!!

S* disse...

Nada é certo, nesta vida. Tudo pode desaparecer num momento.