sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Revoluções


A vida é feita de revoluções. Algumas dão-se sobre si mesmas, continuamente, outras avançam ou recuam conforme a situação, mas há sempre um ponto de chegada e um ponto de partida, os quais, embora possam ser diferentes, acabam por se repetir porque não há lugar para um meio ponto, para outra coisa que não seja o movimento circular da revolução, que torna e volta a tornar sem nunca terminar. Alguns de nós anseiam por uma revolução, mas não uma circular, porque nessa já se vive, esperam sim por uma que quebre a própria revolução, a qual permita sair desse circuito, desse marasmo continuo, mas tudo o que se conseguem é avançar ou recuar, mas sempre num movimento circular e não raramente num movimento linear que quebre a própria essência em que se vive.

2 comentários:

S* disse...

A revolução não acontece se não a fizermos.

Origami disse...

True. E bem que eu precisava de acabar com este meu ciclo de avanços e recuos que se arrasta há muito tempo, há demasiado tempo...