quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Antecipação

Por vezes chega-se e diz-se, sem grandes ponderações ou preparações, conduzidos simplesmente por aquilo que queremos dizer no momento, de improviso, sem preocupações que nos coíbam de dizer simplesmente. E que bem que sai, e que bem nos corre, sem plano, sem antecipação que não seja a de ter de dizer para obter. Mas basta haver muita coisa a correr, pequenas parcelas que se multiplicam criando a possibilidade do esquecimento levando ao preparo, ao registo mental, ou então quando se quer mas não se sabe a palavra para tal, a expressão que compreenda, desenha-se o caminho, ensaiam-se os argumentos, esgrimam-se as possibilidades, tudo para no fim nada se dizer, ou dizer mal, o que nos deixa a pensar em tudo, no momento que até correu, mas poderia ter corrido melhor, com naturalidade e não com a artificialidade que nos desnorteia e preocupa. Seria sempre fácil se improvisássemos, porque a vida é um improviso e querer criar barreiras ao fluir da mesma é fazer nascer em nós a discordância afirmativa que pensamos ser mais certa do que a própria realidade que nos rodeia e preenche.

3 comentários:

hierra disse...

Era mais fácil seguir o instinto e improvisar! mas nem sempre queremos deixar coisas que achamos importantes, ao acaso!

nanda disse...

Por um acaso dei com o seu blog e gostei do que li.
Cumprimentos
Nanda

salto para a lua disse...

escreve muito bem!