terça-feira, 25 de outubro de 2011

Justificação

Há coisas que não se justificam simplesmente porque não têm de ser justificadas, nascem somente do facto de se gostar ou não de algo, o que muitas vezes ultrapassa o conteúdo da argumentação racional, porque ao tecer-se essa mesma ideia num modelo que pouco a caracteriza está-se a espartilhar algo que será sempre muito mais e desse modo acabamos por nos referir sobre muito com quase nada. Ainda assim pode-se tentar dar uma ideia, mas também essa não pode partir de um molde primário, mas sim de algo que inspirado num momento único traduz-se de forma singular e irrepetível em algo que fica guardada mais no espírito do que na ideia.

1 comentário:

hierra disse...

Que inspiração :)