sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Fragilidade


A fragilidade não é algo que se tem, é algo que se cria, algo que pode crescer ou decrescer em nós consoante as tensões que a estamos sujeitos, daquilo que aguentamos ou não conseguimos aguentar. A fragilidade exprime-se às escondidas, no receio de ser descoberta, porque à vista de todos aumenta exponencialmente ao passo que no breu mantém-se fechada, sob uma pressão que aumenta de dia para dia podendo depois rebentar ou torna-se em algo tão forte, servindo para alimentar as forças opostas à mesma. A fragilidade existe sempre, resta saber como lidar com ela, se a conseguimos usar ou se nos deixamos usar por ela.

4 comentários:

A Minha Essência disse...

Essencialmente (acho), que passa pela tua personalidade. Mas mais que isso, passa pelo que tu pretendes!

hierra disse...

cada um tem a sua, e nada de brincar com as dos outros!

S* disse...

Cada um tem a sua... podemos construir carapaças protectoras mas, no fundo, somos todos frágeis.

GATA disse...

Há um mito urbano sobre mim que é que eu sou forte, que não preciso de apoio para nada... Mas as pessoas esquecem-se que eu também tenho as minhas fragilidades, só que -nesses memomentos- escondo-me na concha e deixo a tempestade passar...