quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Aquilo que nos consome

Aquilo que nos consome é tudo, é nada, é a mais pequena partícula cujo mísero tamanho é o suficiente para nos incomodar, até ao maior dos pesos que tem o dom de nos asfixiar. Aquilo que nos consome pode ser real, pode ser apenas uma ilusão, algo inventado ou mal interpretado pela nossa cabeça. Aquilo que nos consome cega-nos por entre as suas chamas, por entre os tormentos que distorcem a realidade e nos deixam longe da solução. Aquilo que nos consome pode não ser nada mas para nós é tudo, acabando por ser aquilo que somos mas que não gostaríamos de ser, ou aquilo que não somos mas gostaríamos de ser. Aquilo que nos consome é não termos tantas vezes a sagacidade para ver mais além, para relativizar e dar a justa importância ao que nos rodeia e assim encontrar uma solução. Aquilo que nos consome é no fundo permitir-mo-nos deixar que algo nos consuma.

4 comentários:

Utena disse...

Nada a acrescentar.
Com pouco dizes tudo
Fabuloso

Fabio Ruben Lopes Paulos disse...

fantástico, por vezes também me deixo consumir

GATA disse...

Eu sei o que me consome, mas não consigo evitar que isso aconteça... :-(

Thiago Brito disse...

Poxa, que beleza de escrito, palavras tão bem colocadas e um sentido tão claro...Parabéns pelo Blog, seus textos são realmente muito bons, escreves maravilhosamente bem, tens uma sensibilidade admirável, tudo aqui me agradou, então não hesitei em me tornar seu seguidor...

Quando puder, passa la no meu tbm e vê o que acha
http://essenciaego.blogspot.com/

Abraço apertado
Témais ;P