quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Diálogos

Num diálogo nem sempre há concordância sobre determinado assunto. Se isto acontecer entre duas pessoas civilizadas e que não sejam tendências ao ponto da emoção lhes toldar o juízo, decerto que ficam amigas como antes, mesmo quando não há ponto comum que assista ambas. Se o oposto suceder criam-se os inimigos e o diálogo que começou é rompido em menos de nada, voltam-se as costas e as soluções ficam de parte, porque o problema passa a ser como destruir o inimigo ou tentar vergá-lo por não aceitar uma ideia que rejeita. O pior de tudo isto passa-se quando existe uma terceira parte, que pode ou não ser espectadora dos primeiros, mas que acaba por sofrer as consequências pela discordância das primeiras.

3 comentários:

hierra disse...

o facto de as pessoas se zangarem por divergências de opinião é um pouco da ignorância, porque as opiniões aceitam-se

GATA disse...

Não imponho mas também não deixo que me imponham, seja o que seja.

A Minha Essência disse...

Desde que haja bom-senso e dois dedos de testa para perceber a perspectiva de cada um, tudo bem. Até porque ouvir outras perspectivas é saudável, acho.

Kiss