sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Iluminados


Admiram-me essas pessoas que se acham capazes de explicar tudo e igualmente que tudo é passível de ser explicado de forma crítica e racional como se a vida fosse apenas mais uma mera equação, da qual, poucos, à excepção deles, conhecem as suas variáveis, ou simplesmente, sabem como resolver a mesma, coisa que nem todos sabem. Sendo certo que muito do que se vive é passível de ter explicação e que pela aprendizagem, seja ela de que natureza for, se consegue melhorar e superar certos aspectos e limitações, no foro interno de cada um há sempre aquilo que escapa, algo que falha e não é passível de ser ultrapassado. Mas depois surgem os iluminados que dizem o oposto, que o feitio pode ser moldado, que todas as limitações podem ser superadas, e parece-me que não tarda começarão a prometer a alteração da pessoa, da sua personalidade, do seu consciente e inconsciente, tudo claro, com vantagem para quem mostra esse caminho, quem diz ter uma sabedoria superior para o efeito, mas a meu ver a única sabedoria presente é mesmo a de conseguir arranjar um plano para conseguirem subtrair uns trocos a meia-dúzia de ingénuos que se lançam em desespero buscando uma solução em qualquer local onde a mesma prometa surgir. Se em tempos tínhamos os vendedores da banha-da-cobra, agora temos os entendidos do mesmo género, pelo que só muda o frasco, porque o conteúdo é sempre o mesmo.

2 comentários:

hierra disse...

Olha, antes vendessem banha da cobra!

Utena disse...

É a beleza dos incautos da new age